Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

Trio de Ferro tem as melhores defesas do Campeonato Brasileiro

Corinthians, Palmeiras e São Paulo mostram estabilidade, sofrem poucos gols e se destacam na tabela

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2019 | 11h53

Corinthians, Palmeiras e São Paulo estão nas primeiras posições do Campeonato Brasileiro não pelos destaques ofensivos ou pela grande fase de um artilheiro em suas fileiras. Um dos segredos está na defesa. Os três times da capital paulista têm as defesas menos vazadas da competição até a sua 15ª rodada, com média de gols sofridos por jogo inferior a 0,7. Vale lembrar que o São Paulo tem um compromisso a menos, com 14 jogos.

O trio está no G-6 do Campeonato Brasileiro, com possibilidade de ascensão nas próximas rodadas. O São Paulo, do técnico Cuca, tem um jogo a menos e terá pela frente nesta quarta-feira o Athletico-PR, em Curitiba. Pode chegar aos mesmos 30 pontos de Palmeiras e Flamengo e aí embolar a competição na sua parte de cima. O líder Santos tem 32 pontos. O Corinthians, por sua vez, tem como compromisso seguinte o lanterna Avaí, equipe ainda sem vitória nesta competição. Os corintianos contam, portanto, com os três pontos desta partida e com mais uma rodada de sofrer gols.

A equipe do treinador Fábio Carille é a dona da melhor marca defensiva deste Brasileirão. Das 15 rodadas, em nove o time não sofreu gols. Ao todo, a defesa corintiana só foi vazada oito vezes. A força no setor defensivo não é de hoje. A marcação forte, a ajuda de atacantes e o entrosamento da linha de retaguarda ajudam o Corinthians a se manter sem tomar gols pelos três últimos jogos. Carille tem se mostrado um bom treinador dos setores de marcação, com quatro homens na zaga e dois marcadores no meio de campo.   

O goleiro Cássio, o lateral Fágner e os zagueiros Manoel e Gil são principais pilares dessa estabilidade, assim como a sustentação de volantes como Junior Urso e Gabriel. Henrique era o titular da defesa antes da chegada de Gil. Desde a passagem do técnico Tite entre 2010 e 2013, trabalho que teve Carille como auxiliar, o Corinthians se notabilizou pela consistência defensiva.

SÃO PAULO

O São Paulo é um time que tem buscado ser tão eficiente na defesa quanto seus rivais. A equipe do Morumbi sofreu nove gols em 14 rodadas, um número bom para quem penou no primeiro semestre com eliminações precoces na Copa do Brasil e Libertadores. Um dos segredos é a estabilidade do goleiro Tiago Volpi, reforço trazido nesta temporada e responsável por dar segurança a uma posição bastante criticada desde a aposentadoria de Rogério Ceni, em 2015.

"Foi um começo não muito bom, bem irregular, e depois da fase final do Campeonato Paulista as coisas começaram a caminhar de uma maneira melhor, comecei a ter regularidade. O começo não foi fácil, é difícil quando as coisas não acontecem principalmente quando vêm as críticas", afirmou o goleiro Tiago Volpi em entrevista ao Estado. Arboleda também passa por uma boa fase e Cuca tem mudado a condição do time. Esses ingredientes levaram o São Paulo para o alto da tabela.

PALMEIRAS

O Palmeiras, do técnico Luiz Felipe Scolari, continua firme na defesa mesmo depois de cair de rendimento e passar as últimas seis rodadas sem vencer. A equipe sofreu dez gols em 15 rodadas, ao manter o esquema que deu certo no ano passado. Luan e Gómez dão estabilidade no setor, assim como a marcação de Felipe Melo confere proteção extra aos defensores.

Assim como nos outros dois clubes da capital, o goleiro é um destaque. Weverton foi recentemente convocado por Tite para defender a seleção brasileira em amistosos contra Peru e Colômbia, em setembro. "Fiquei muito feliz em ser convocado pelo professor Tite para os amistosos da seleção. Ser lembrando num momento tão especial desse, prova que o trabalho que venho fazendo todos os dias está sendo visto", comentou.

Nesta temporada, o goleiro palmeirense acumulou nove partidas seguidas sem ser vazado. No ano passado, ele obteve uma sequência ainda maior, com dez compromissos, segunda maior série da história do clube, atrás apenas da marca de 11 partidas obtida por Zetti, em 1987.

Exceto pelo São Paulo, Palmeiras e Corinthians são equipes que procuram não se expor tanto em seus jogos, previlegiam o setor de marcação do que a necessidade de fazer gols. São times mais sólidos defensivamente e de dificil penetração de seus adversários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.