Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Trio de reforços brilha e Flamengo ganha opções no ataque

Arrascaeta, Gabigol e Bruno Henrique começam a mostrar evolução na adaptação ao novo clube

Redação, Estadão Conteúdo

04 de fevereiro de 2019 | 08h50

O Flamengo brilhou pela primeira vez na temporada neste domingo. Além de golear a Cabofriense, o time comandado por Abel Braga mostrou força em diversos setores, principalmente no ataque. Ao longo do jogo, ele contou com seis jogadores de características mais ofensivas, sendo três deles reforços para a temporada.

Abel escalou a equipe com Willian Arão e Diego na armação, enquanto Everton Ribeiro, o reforço Bruno Henrique e Uribe conduziam as ações mais à frente. No segundo tempo, o treinador deu chance a outras duas novidades: Arrascaeta e Gabriel Barbosa, o Gabibol. E o ataque manteve a sua força: placar de 4 a 0 e invencibilidade estendida no Estadual.

O auge da sinfonia do ataque rubro-negro aconteceu no quarto gol, já nos acréscimos. Seus três principais reforços - Arrascaeta, Gabigol e Bruno Henrique - participaram da jogada que culminou no gol deste último.

"Foi legal a participação dos três no último gol", destaca Abel Braga, que já vê novas opções para o setor. "Vai depender muito de estratégia, se quer movimentação, mais troca de posição, ou mais verticalidade. Ganho passe em profundidade com Arrascaeta, com os outros, velocidade."

O meia uruguaio, ex-Cruzeiro, ganhou elogios diretos. "Adorei a entrada do Arrascaeta por dentro jogo passado, e adorei hoje a entrada dele pelo lado. Hoje não botei o Gabriel na direita, e sim enfiado. Ele é jogador muito veloz. Foi fantástica a metida do Gabriel, do Bruno Henrique... Em altíssima velocidade. É a estratégia que vai definir. Importante ter no grupo jogadores que possam mudar."

O treinador também reconheceu os jogadores que já estavam no elenco, caso de Willian Arão, que teve participação decisiva na goleada. "Não vou pegar [esta partida como exemplo] porque ele ainda vai render mais. É um jogador que eu confio muito. Ele recompõe bem. Havia dúvida se ficava, eu pedi que ficasse. Treinador não pode prometer nada, mas queria que soubesse da minha admiração. E a torcida está entendendo. Ele tem leitura, feeling, timing, sabe o momento de se projetar e de esperar."

O placar folgado e a boa performance individual do Flamengo aumentaram a confiança do técnico. "Não sou protagonista, e sim a torcida, que está batendo recorde. Está muito prazeroso fazer parte desse grupo. Tomara que continue por mais tempo", declarou.

O Flamengo volta a campo no sábado para fazer a semifinal da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca, contra o Fluminense, no Maracanã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.