Tristeza de Tevez preocupa Corinthians

A primeira missão de Márcio Bittencourt como técnico interino do Corinthians, antes mesmo de preparar a equipe para o jogo contra o Atlético-PR, no domingo, é reanimar a maior estrela da companhia. Ninguém pode se dizer feliz com o momento do clube, mas Carlitos Tevez está mais triste que os demais. Embora viva, fora de campo, a vida tranqüila que buscava ao deixar o Boca Juniors, o atacante argentino se envolveu em brigas com colegas, suspeitas de boicote e, pior de tudo, seu futebol caiu de produção e os gols sumiram. O desconfortou acentuou-se com a saída de Daniel Passarella, que o apoiava - e, embora o clube negue, Tevez teria até pedido para deixar o Corinthians."O Carlitos ficou chateado nas últimas semanas, por tudo o que aconteceu. Todo mundo tem o seu momento de insatisfação. Eu já tive o meu", disse Gil, atual colega de ataque do argentino, rejeitando a hipótese de que houve boicote. "Não acredito nisso. Nos dois últimos jogos, foi difícil a bola chegar tanto para mim quanto para ele. Nosso papel é dar apoio para ele recuperar a alegria."Segundo o diário argentino Olé!, pessoas próximas a Tevez dizem que sua tristeza vem da falta de bons resultados do time e do fato de não ter sido, ultimamente, capaz de desequilibrar partidas, como ocorreu tantas vezes no Boca e na seleção argentina.O ex-volante Márcio se sente apto para contornar o problema e resolveu atacá-lo desde hoje. No início do treino da manhã, conversou com Carlitos durante o aquecimento. "Tenho um diálogo muito grande com ele", revelou o técnico interino. "Conversamos e treinou normalmente, brincou com Fininho e Betão, e vai jogar domingo. Essa tristeza não vem de agora, mas vou tentar mudar isso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.