Trupe do 'Pânico' é barrada em entrevista da Ferrari

No ano passado, os humoristas fizeram piada com o ex-piloto da equipe italiana, Rubens Barrichello

18 de outubro de 2007 | 21h09

A turma do programa Pânico, da RedeTV!, não teve chance de participar nesta quinta-feira da entrevista coletiva com os pilotos da Ferrari. Os humoristas foram vetados vetada ainda no processo de credenciamento, depois de, no ano passado, fazerem piada com o ex-piloto da equipe Rubens Barrichello. A saída dos repórteres Silvio Santos e Vesgo foi tentar convencer Felipe Massa a gravar uma mensagem, prometendo que, se vencesse a corrida de domingo, faria a "dança do siri", marca registrada do programa. Mas a assessoria de imprensa da Ferrari não concordou com a gravação. No ano passado, os humoristas perguntaram ao ex-piloto Michael Schumacher o que ele faria "se um dia acordasse e visse o Rubinho no espelho". O alemão fez um gesto de que estava limpando os olhos, como se não acreditasse no que estava vendo, para o delírio dos humoristas. Eles ainda entregaram uma tartaruga de pelúcia a Schumacher. Barulho Enquanto a maior parte dos mecânicos trabalha em silêncio, o box da Red Bull é o mais barulhento. Nesta quinta-feira, os engenheiros trabalhavam nos carros de David Coulthard e Mark Webber ao som das bandas Nirvana e Oasis, em volume alto o suficiente para ser ouvido em todos os outros boxes. Enquanto isso, os alto-falantes de Interlagos despejavam funk carioca. Senna insatisfeito  Bruno Senna, que está em São Paulo para ver o GP do Brasil a convite de seus patrocinadores, admitiu que esperava um resultado melhor em sua estréia na GP2 do que o oitavo lugar.  "Mas o importante é que aprendi bastante esse ano. Vou puxar mais no ano que vem", afirmou o sobrinho de Ayrton Senna, que sonha em estar na Fórmula 1 em 2009 ou 2010. Para a corrida de domingo, arrisca uma zebra: "Seria bom ver um pega do Alonso com o Hamilton. E o Kimi sendo o campeão."  Truck Felipe Giaffone, atual líder da Fórmula Truck, levou o patrão e companheiro de equipe, Renato Martins, para conhecer os bastidores da Fórmula 1. "Truck e Fórmula 1 são universos diferentes, mas essa é uma ocasião muito especial - não só porque o Rubinho (Barrichello) é meu amigo, mas porque estou voltando a Interlagos depois da minha primeira vitória na Truck (em maio)", disse Felipe, que lidera sua categoria com 124 pontos. A próxima etapa da Truck será dia 11 de novembro, em Campo Grande.

Tudo o que sabemos sobre:
fórmula 1GP Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.