TSE nega pedido de criação de Partido Nacional Corinthiano

Sigla não preenche quase nenhum documento exigido para registro

O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2015 | 21h45

O TSE negou, por unanimidade, pedido de registro do Partido Nacional Corinthiano (PNC). O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral entendeu que a sigla não cumpriu os requisitos legais para sua criação. Uma associação de torcedores do Corinthians queria criar um partido para o time.

A legenda, segundo informou ministro Henrique Neves, protocolou um pedido de registro desacompanhado de quase todos os documentos necessários. Henrique Neves afirmou ainda que deu um prazo de 10 dias para que essas exigências fossem preenchidas. Isso, contudo, não aconteceu.

O pedido oficial para a criação do partido foi feito em agosto. O PNC possui um site e explica qual seria a função do partido: "O Partido Nacional Corinthiano nasce para construir um nova forma de organização social, esportiva e democrática, inspirada no respeito à dignidade humana, liberdade e igualdade de oportunidades."


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.