Lee Smith/AP
Lee Smith/AP

Tuchel cobra atacantes do Chelsea: 'Não há tempo para jejum de gols na elite'

Principal alvo é Timo Werner, que anotou apenas dois gols em 26 partidas na temporada

Redação, Estadão Conteúdo

16 de março de 2021 | 16h13

Apesar da invencibilidade à frente do Chelsea, o técnico Thomas Tuchel não esconde o incômodo pelo baixo número de gols marcados pela equipe inglesa nos últimos jogos. Nesta terça-feira, véspera da decisiva partida contra o Atlético de Madrid, pela Liga dos Campeões, ele cobrou publicamente seus atacantes.

"Se você chega na elite do futebol, e joga pelo Chelsea, não há tempo para performar (sem fazer gols). Isso simplesmente não existe. Você está em constante competição com outros jogadores e não há tempo para ficar quatro, cinco, seis jogos em sequência sem marcar gols com regularidade", disse Tuchel.

O principal alvo das críticas do treinador é o atacante Timo Werner, principal contratação do clube na última temporada. Ele marcou apenas dois gols em 26 partidas e já começa a perder espaço entre os titulares.

"Timo não tem nenhum motivo para estar frustrado porque ele fez uma grande partida contra o Liverpool e, depois, um bom jogo contra o Everton, com muitas chances para marcar", declarou o treinador. "O nosso recado claro é: não foque no resultado. Ajuste sua tomada de decisões e sua técnica e a bola fará o resto por você."

Nos últimos cinco jogos, o Chelsea marcou apenas quatro gols, sendo apenas dois deles de atacantes. Os outros foram do volante Jorginho e um contra. Houve dois empates sem gols nesta série, o que afastou o time londrino da briga pelas primeiras posições do Campeonato Inglês.

Como venceu o jogo de ida por 1 a 0, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, o Chelsea deve precisar dos seus atacantes para o jogo da volta contra o Atlético, nesta quarta, em Londres.

"Com Diego Simeone, eles são um dos times mais difíceis de serem batidos. Eles são disciplinados, trabalham duro em campo e tem uma defesa bem organizada. Eles têm uma qualidade incrível para atacar e sabem ter a posse de bola. São um time muito completo", enumerou o treinador do Chelsea.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.