Reprodução / Chelsea
Reprodução / Chelsea

Tuchel esquece empate na Espanha e quer Chelsea no ataque contra o Real Madrid

Técnico revela que não poderá contar com o croata Mateo Kovacic, que ainda não se recuperou de uma lesão

Redação, Estadão Conteúdo

04 de maio de 2021 | 13h31

Esquecer o empate por 1 a 1 em Madri. Esta foi a orientação dada pelo técnico Thomas Tuchel aos jogadores do Chelsea para o jogo de volta das semifinais da Liga dos Campeões, nesta quarta-feira, diante do Real Madrid, em Londres. O treinador alemão quer sua equipe no ataque, em busca da vitória.

"É uma semifinal, com muita pressão. Confiar 100% em nosso potencial é necessário. Não podemos enfrentar o Real Madrid de outra forma. Aprendemos em Madri que temos todo o direito de estarmos na semifinal e que, portanto, não temos de ter medo de enfrentar uma das maiores equipes do mundo", afirmou Tuchel, nesta terça-feira, em entrevista coletiva.

O técnico revelou que não poderá contar com o croata Mateo Kovacic, ainda não recuperado de uma lesão. Em compensação, o zagueiro alemão Antonio Rudiger vai estar em campo, protegido por uma máscara por causa de uma contusão no rosto. "O importante é que estamos com quase todo o elenco à disposição e ainda temos um bom resultado obtido no primeiro jogo."

Tuchel aproveitou para dar moral ao seu atacante Timo Werner, que perdeu enorme oportunidade no duelo de Madri. "Às vezes os atacante perdem grandes chances, mas isso faz parte do futebol. Confio em meus jogadores e tenho certeza de que todos vão procurar fazer o melhor em campo."

Sobre a possibilidade de o Real contar com o experiente Sergio Ramos, Tuchel mostrou equilíbrio. "Não sei se Ramos vai jogar, mas se jogar, estaremos prontos para isso. Para o Madrid ele é muito importante, pois se trata de um atleta de muita experiência, além de ser o capitão de um dos times mais vitoriosos da Europa."

O técnico alemão também não se importou com a opção de Zinedine Zidane escalar o Real com até cinco homens no setor defensivo. "Minha maior preocupação é com os meus jogadores, com a minha formação e com o que podemos desempenhar dentro de campo. Teremos de estar no melhor de nosso nível."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.