Tudo mundo aliviado no São Paulo

SÃO PAULO - Assim que o jogo contra o Cruzeiro acabou, os jogadores do São Paulo se abraçaram no gramado do Independência e mostraram o quanto a equipe precisava da vitória. Foi um alívio para um time que tem vivido de crise em crise. Até o presidente Juvenal Juvêncio deu as caras para parabenizar os jogadores. Segundo o atacante Luis Fabiano, autor do primeiro gol da tarde, a presença do cartola foi muito importante para o elenco.

estadão.com.br

30 de junho de 2012 | 22h12

"Antes do jogo ele foi ter uma conversa com a gente e falou que queria a vitória para termos uma semana tranquila. E conseguimos isso para o presidente", disse o goleador. "Após muitas críticas e xingamentos, demos a volta por cima. Ainda não ganhamos nada, mas essa vitória vai nos servir muito."

O nome do demitido Emerson Leão foi lembrado em Minas. "Infelizmente com o Leão não deu e, quando se perdem coisas importantes, sempre sobra para o treinador", declarou Luis Fabiano, que admitiu que o time entrou com um espírito bem diferente contra o Cruzeiro. "Lógico que a gente se doou mais do que antes porque a necessidade (de vitória) era grande."

O atacante só lamentou o pênalti defendido por Fábio. "Achei que ele ia cair no outro lado."

O interino Milton Cruz comemorou bastante a vitória. Ele considera que o resultado foi uma prova de força do Tricolor. "Para quem fala que o São Paulo não tem time, está aí: tem time e grandes jogadores. Treinadores de renome me ligaram para me desejar sorte e falar que o São Paulo é um dos melhores times do Brasil", contou Milton. Quem ligou? "O Ricardo Gomes, o Muricy, o Carpegiani e o Autuori."

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo fcBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.