Reprodução
Reprodução

Túlio desafia o tempo, fecha com o Taboão da Serra e mira gol 1001

Aos 49 anos, atacante vai disputar em 2019 o Campeonato Paulista da Série A3

Bruna Gavioli/ Especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2018 | 05h00

“Alô, galera de Taboão da Serra! Agora é pra valer, hein? Túlio Maravilha vai voltar a jogar futebol, agora pelo CATS, Clube Atlético Taboão da Serra, no Campeonato Paulista de 2019, a A3. Vou em busca do ‘Gol Superação’, o gol 1001.” Foi com essa mensagem, bem ao seu estilo, divulgada por vídeo, que o Taboão anunciou a contratação do ex-jogador, ou melhor, do ainda jogador Túlio. Aos 49 anos, e com a irreverência de sempre, ele está de volta. De novo. E já traçou a próxima meta.

O milésimo gol, em suas próprias contas, foi marcado em 2014, na sua estreia pelo Araxá, na segunda divisão do Campeonato Mineiro. O artilheiro marcou de pênalti, aos 29 minutos, contra o Mamoré. Na ocasião, Túlio Maravilha dedicou o feito à família e “todos que acreditam em seus sonhos”. Como fez em 1995, após o título do Botafogo no Campeonato Brasileiro, Túlio foi carregado pelos companheiros e, com a bola nas mãos, celebrou a marca.

Agora, ele quer ampliar a contagem. Superar seus próprios limites. Deixar a aposentadoria para fazer mais história. “Esporte é tudo na minha vida. Sou Túlio Maravilha graças ao futebol, o maior entretenimento do planeta.” O reforço do Taboão, que costuma fazer barulho em suas contratações (já trouxe Viola, por exemplo), disse ainda que o time “terá o maior artilheiro em atividade no mundo”.

Em contato com o Estado, o presidente do clube, Anderson Nóbrega, não poupou elogios ao jogador. “Túlio é um fenômeno e mesmo com uma idade avançada tem físico excelente. É um exemplo”, disse. “Será fundamental ter um atleta que já viveu tudo no futebol e pode mostrar os caminhos para que o time seja vencedor.” Em 2018, o Taboão foi o 10.º colocado na Série A3, que tinha 20 clubes.

Túlio já defendeu mais de 30 equipes desde 1987 e jogou pela seleção em 15 oportunidades. Seu melhor momento ocorreu na Copa América de 1995, ano em que brilhou também no Botafogo. No Brasileiro, Túlio foi o artilheiro em 1989, com 11 gols pelo Goiás. Em 1994, fez 19 gols pelo Botafogo, e em 1995, 23 gols.

O Taboão já esteve para contratá-lo, mas a primeira tentativa não foi bem-sucedida. “Era para ter estreado pelo Taboão em 2016/2017, mas não deu certo no primeiro contato. Agora, o presidente do clube me procurou e a gente se entendeu. Agora é pra valer! Eu vou me apresentar oficialmente em novembro e a partir de janeiro começam os treinamentos”, afirmou

“Será fundamental para a equipe ter um atleta que já viveu tudo no futebol e poder mostrar os caminhos para que o time seja vencedor. O torcedor pode esperar uma grande alegria e o CATS ficará cada vez mais forte, pois temos o maior artilheiro em atividade no mundo”.

Em 2018, o Taboão foi o 10º colocado na Série A-3, que contava com 20 times e rebaixou seis.  Em 2019, o torneio contará apenas com Barretos, Batatais, Capivariano, Comercial (Ribeirão Preto), Desportivo Brasil, EC São Bernardo, Grêmio Osasco, Monte Azul, Noroeste, Olímpia, Osasco Audax, Primavera, Rio Preto, São Carlos, Taboão da Serra e Velo Clube.

A irreverência de Túlio

Descanso? Aposentadoria? Que nada! Aos 49 anos, o atacante quer ampliar a conta dos 1.000 gols na carreira em sua nova fase no futebol, a volta aos gramados pelos Clube Atlético Taboão da Serra.

“Esporte na minha vida é tudo. Sou Túlio Maravilha graças ao Futebol, o maior entretenimento do planeta”, revelou o craque. Durante toda sua trajetória, Túlio destacou a importância de “ter uma família sólida e unida tem praticamente tudo para superar as suas dificuldades na vida”.

O auge de sua carreira foi no Botafogo, onde foi ídolo e ajudou o clube carioca a conquistar o Campeonato Brasileiro de 1995Sobre os técnicos com quem trabalhou, Túlio não esconde seu carisma por Felipão e Parreira, que tiveram grande importância na carreira. Para o artilheiro, atualmente quem lhe agrada como técnico é Pepe Guardiola que relembra o que é o futebol arte.

Túlio já defendeu mais de 30 equipes desde 1987. Túlio jogou pela seleção brasileira em 15 oportunidades. O melhor momento aconteceu na Copa América de 1995, ano em que brilhou também no Botafogo. No Brasileirão, Túlio foi o artilheiro máximo em 1989, quando marcou 11 gols pelo Goiás, em 1994 (19 gols pelo Botafogo) e 1995 (23 gols).

O ídolo do Botafogo, conhecido por sua irreverência, abre o jogo e sem filtro fala sobre política, futebol, seleção brasileira, e mostra que não perdeu seu senso de humor em entrevista ao Estado.

Como surgiu a ideia de voltar aos gramados pelo Clube Atlético Taboão da Serra?

Era para ter estreado pelo Taboão em 2016/2017, mas não deu certo no primeiro contato. Após a minha passagem pelo Atlético Carioca no Rio de Janeiro, um clube também da terceira divisão, o presidente do clube me procurou e a gente se entendeu. Agora é pra valer! Eu vou me apresentar oficialmente em novembro e a partir de janeiro, já começam os treinamentos para a estréia na A3. Estou muito feliz em voltar para o futebol aos 49 anos, e agora, defendendo o Atlético Taboão da Serra.

Como foi ficar longe dos gramados desde 2014?

Eu parei em 2014 porque atingi a minha meta que era de mil gols na carreira. Fiz meu milésimo gol no Araxá, clube da Segunda Divisão de Minas.  Quatro anos depois, eu recebi o convite do Atlético Carioca, clube de São Gonçalo. O presidente é meu fã, torcedor do Botafogo e o sonho dele era me ver o grande ídolo dele vestindo a camisa do time. Voltei aos gramados esse ano e terminou o meu contrato, o presidente do CATS, Anderson refez o convite e eu aceitei porque gosto de desafios e estar sempre em atividade. E de uma certa forma, quero deixar esse legado para essa garotada, mostrar toda a minha experiência de sucesso como atleta de futebol dentro e fora de campo.

O que você fez durante esse tempo?

O futebol sempre fez parte da minha vida. Nesse período, eu dei palestras motivacionais, tenho escolinha social, faço eventos e publicidade. A cada 15 dias, a gente reúne uma seleção de craques e fazemos jogos beneficentes pelo interior do país.

O que te motivou a ser palestrante? E de que maneira, as pessoas se identificam com a sua história?

A ideia de ser palestrante surgiu após o milésimo gol e me preparei para dar palestras, onde eu conto toda a minha trajetória desde o início da minha carreira no Goiás até chegar a essa marca histórica. Contando os altos e baixos que a profissão exige, mostrando superação, garra, foco e muita determinação para correr atrás dos seus sonhos. O objetivo da minha palestra é que as pessoas entrem motivadas e saiam melhor ainda para o mercado de trabalho, para correr atrás dos seus sonhos.

Artilheiro em três divisões do futebol nacional, você se considera um dos maiores jogadores do Brasil?

Na verdade, eu sou artilheiro do Brasil seis vezes. Três pela Série A, uma pela Série B e duas pela C. Sou Hexa artilheiro do Brasil. Me considero entre os maiores artilheiros da história do futebol não só brasileiro mas também mundial. Modéstia à parte.

Qual foi o momento mais marcante do início da sua carreira?

Na época que saí do juniores e fui para o profissional do Goiás, onde muitos atletas eram contratados experientes para ser titular e eu acabei me destacando. Um dos primeiros treinadores da minha carreira foi o Felipão, que me deu força dizendo “Guri, vai lá e faz o seu futebol que o resto, eu garanto”. Essa frase me marcou bastante e a partir desse momento, eu me senti confiante e fortalecido. Assim, me tornei artilheiro do Goiás e do Brasil. Graças às palavras de incentivo do Felipão.

E o mais emocionante como profissional?

Foi em 95, o gol do título do Botafogo contra o Santos, na decisão do Campeonato Brasileiro, no Pacaembu. Eu fiz o gol do título e depois daquele ano, o Botafogo nunca mais foi campeão brasileiro. Já se passaram 23 anos dessa conquista maravilhosa e inesquecível. Foi o momento mais marcante da minha carreira e da história do clube.

O que significa a marca do milésimo gol?

Um marco na minha carreira profissional e significa um legado. Quando você tem um sonho, um objetivo não importa qual seja, vá em um busca dele. Por mais simples ou complexo que seja, muitos achavam difícil, eu fui atrás do meu sonho e superei todas a barreiras. Foi meu grande legado e sonho realizado da minha carreira profissional

O que dizer sobre o atual momento da seleção brasileira ?

Não é dos melhores, nós perdemos duas Copas do Mundo (2014 e 2018), pois o time é muito dependente do Neymar, única referência e craque que temos.  Para quem já teve craques como Romário, Ronaldo , Pelé, Careca, Rivaldo, Túlio Maravilha, Ronaldinho Gaúcho, Kaká e tantos outros...o futebol está muito pobre. Vamos torcer para que consiga melhoras e no futuro, o futebol brasileiro encontre o caminho das vitórias e dos títulos. Precisa de mais treinamento na base, revelar novos craques para que eles fiquem mais tempo no futebol brasileiro, possam se tornar ídolos e tenham mais identidade com o torcedor brasileiro e com as nossas raízes. Eles vão embora do país muito cedo e não tem aquele sentimento, um certo orgulho, em jogar pela Pátria. Está faltando amor pela camisa e coração na ponta da chuteira. Tem muitos jogadores que jogam por jogar e não sabem o real sentido de vestir a ‘amarelinha’.

Futebol com ou sem VAR?

Com porque elimina qualquer questionamento e injustiça. Mesmo com VAR têm polêmica, mas pelo menos, os erros serão reduzidos ao máximo.

Tem alguma mania ou superstição antes do jogo?

Fazer uma oração antes da partida, para que nada acontecesse. O ganhar ou perder é do jogo. Sempre pedia para não me machucar, eu entrava com o pé direito e fazia o sinal da cruz.

Qual jogador mais te impressionou? E quem você gostaria de ter tido a oportunidade de atuar junto?

Um ídolo desde criança sempre foi o Pelé, maior atleta do século e Rei do Futebol. Já joguei com grandes craques como Bebeto, Edmundo, o próprio Romário, mas seu eu pudesse escolher eu gostaria de jogar ao lado do Messi. Com certeza, ele iria me ajudar a fazer mais de 1500 gols na carreira.

Time do coração

Desde 94 e 95, quando passei a jogar pelo Botafogo, eu me identifiquei com o time e hoje sou Botafogo de coração e profissão.

Você já atuou na política. Como foi a experiência?

Se eu pudesse voltar atrás, teria me arrependido e não tinha entrado. Foi uma experiência muito desagradável porque estou acostumado a ter resultados práticos, como no futebol, você ganha, perde ou empata. Na política, é tudo muito lento, muitas articulações e panelinhas. Eu não tinha paciência para ficar debatendo coisas que não vão acrescentar na vida da população. E isso não fazia o meu perfil.

E o que você pensa sobre o atual cenário político?

Infelizmente, a política está que nem o futebol, nivelado por baixo. Não temos opções, tanto no primeiro quanto no segundo turno, os candidatos são fracos e limitados politicamente. Figurinhas carimbadas, não estou vendo nenhuma modificação ou nenhum projeto audacioso que possa mudar de imediato o cenário brasileiro tanto na segurança, educação, esporte, desemprego...Vivemos um descaso social muito grande.

Em 2016, você e sua esposa, Cristiane participaram do Power Couple Brasil, um reality de casais na Rede Record. Como foi a experiência?

Foi uma experiência boa mas não é fácil conviver com vários casais que pensam de maneira diferente, têm hábitos e costumes diferentes. Eu e minha esposa somos evangélicos e temos uma vida mais pacata e caseira. Ficamos impressionados com a agitação de estar confinado. Como experiência de vida e casal foi válido para fortalecer ainda mais essa união, aprender e passar essa experiência para nossos filhos.

O que os fãs do CATS podem esperar para a próxima temporada?

Alegria, irreverência, muita experiência e aprendizado dentro de campo. Não tenho ambição de ser artilheiro e campeão, apenas de divulgar mais ainda o Clube Atlético Taboão. Revelar novos talentos, dar dicas para essa garotada.

Pretende jogar até quando?

Quero jogar até os 50 anos, é  um sonho meu, esbanjando saúde, fé, muita alegria e prazer fazendo aquilo que gosto.

Recado para quem está iniciado no futebol...

Vá em busca dos seus sonhos. Eu, graças a Deus,  consegui tudo aquilo que o futebol me proporcionou mas nada foi de graça, foi com muita luta e suor. Sempre era o primeiro a chegar e o último a sair. Muito treinamento e abdicação dos prazeres da vida. Tenha fé, respeito e humildade. Se eu consegui chegar lá, com sonho e vontade, vocês também conseguem. Não desista no primeiro obstáculo, tem que persistir e ter foco. Não desistir nunca!  E principalmente, tem que ter atitude pois não adianta só falar, se você não agir...

Como definir Túlio Maravilha?

Um atleta dedicado, que têm sonhos e não tem medo dos desafios e das derrotas. Está sempre pronto para poder passar algo positivo, ajudar os atletas que estão começando. Referência com pai e profissional dedicado. Túlio Maravilha é alegria e irreverência no futebol. São gols, títulos e vitórias. Quero deixar esse legado, Túlio foi um dos maiores artilheiros do futebol brasileiro e mundial, que fez do futebol um prazer e deu muitas alegrias aos torcedores.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Túlio Maravilha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.