Tunísia aposta na torcida contra Marrocos

Tunísia e Marrocos decidem neste sábado, em Rades (Tunísia), a 24ª edição da Copa da África de Nações. Uma decisão inédita em que os tunisianos pretendem fazer prevalecer o fato de jogar com o apoio de sua torcida - 60 mil ingressos já foram vendidos - para conquistar o primeiro título continental. Os marroquinos querem acabar o jejum que já dura 28 anos. A última e única conquista continental aconteceu em 1976, na Etiópia.Apesar do entusiasmo, a preocupação do técnico da Tunísia, o francês Roger Lemerre, é com a condição física de seus atletas após a semifinal de quarta-feira, que só foi decidida apenas nas cobranças de pênaltis, contra a Nigéria (5 a 3, após 1 a 1 no tempo normal). O principal objetivo é decidir o jogo nos noventa minutos para evitar um desgaste maior. "Gostaríamos que o confronto terminasse no tempo normal. Uma prorrogação seria uma vantagem para o nosso rival", diz ele, apostando na força da torcida. "Eles (marroquinos) podem se desestabilizar".Marrocos chega à final com o ataque mais positivo da competição, com 13 gols, a defesa menos vazada - sofreu apenas dois gols - e o moral lá em cima depois da goleada na semifinal sobre Mali (4 a 0). "Será uma partida muito difícil e devemos respeitar a Tunísia", afirma o capitão Nourredine Naybet, zagueiro do La Coruña.Nesta sexta-feira, na decisão do terceiro lugar, a Nigéria bateu Mali por 2 a 1, com gols de Okocha e Odemwingie. Aboute descontou para Mali.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.