Tunísia e Marrocos farão a final na África

As seleções da Tunísia e do Marrocos decidirão, no sábado, em Rades, a Copa da África. Nigéria e Mali repetiram a campanha de 2002, quando caíram nas semifinais, e disputam o terceiro lugar na sexta, em Monastir.A missão da Tunísia, anfitriã da competição, para chegar à decisão foi complicada. Diante de nigerianos empolgados por terem eliminado Camarões, os atuais campeões, tiveram de buscar empate e depois contar com a loteria dos pênaltis para garantir a classificação.Okocha abriu o marcador para a Nigéria aos 22 minutos da segunda etapa. A Tunísia só conseguiu empatar aos 37, em cobrança de pênalti de Khaled Badra. O empate persistiu na prorrogação e a vitória dos anfitriões só veio nas penalidades: 5 a 3.Já Marrocos não deu chances a Mali. Aplicou impiedosa goleada, 4 a 0, gols de Youssef Mokhtari (2), Hadji e Nabil Baha.Torre de Babel - A Copa da África deste ano criou um problema para os dirigentes: por conta da decisão tomada por eles de permitir que jogadores de qualquer país representem um outro que lhe tenha concedido um passaporte - não é preciso sequer comprovar ligações familiares que caracterizariam cidadania, por exemplo -, as seleções se encheram de atletas nascidos em outros países.A Tunísia, por exemplo, tem dois brasileiros: o lateral Clayton e o atacante Francileudo. Ruanda levou 6 jogadores nascidos no Burundi, 3 congoleses e um camaronês ao torneio. E a Mauritânia encheu o elenco de franceses.A Fifa não está gostando da história. Por enquanto, apenas "monitora?? a situação, mas deverá impedir que a festa se repita nas próximas competições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.