Turquia põe Fenerbahce, de Zico, como novo grande da Europa

Técnico brasileiro faz história ao levar equipe pela primeira vez às quartas-de-final da Liga dos Campeões

Daren Butler, REUTERS

05 de março de 2008 | 10h32

Torcedores do Fenerbahce comemoraram ao longo da madrugada a vitória sobre o Sevilla, nos pênaltis, que classificou o time para as quartas-de-final da Liga dos Campeões, enquanto a imprensa do país colocou o a equipe do técnico brasileiro Zico entre os gigantes da Europa. Veja também:  Presidente do Fenerbahce renovará contrato de Zico"Fenerbahçe, a nova estrela da Europa", proclamou o jornal Sabah acima de uma foto dos jogadores do clube correndo para comemorar com o goleiro Volkan Demirel, que defendeu três cobranças na disputa de pênaltis. O Fenerbahçe tornou-se o segundo time a alcançar as quartas-de-final da Liga dos Campeões, repetindo o feito do ex-campeão da Copa da Uefa Galatasaray. "Nós dissemos que nos tornaríamos um gigante mundial e estamos aos poucos progredindo para isso", disse o presidente do Fenerbahçe, Aziz Yildirim, em Sevilla, após a classificação. O Sevilla, que havia perdido o jogo de ida por 3 a 2, abriu rápida vantagem de 2 a 0 nos primeiros nove minutos e fez um terceiro logo após o intervalo. Mas o Fenerbahçe descontou dois gols para levar o jogo à prorrogação. A receita do sucesso da equipe tem um forte tempero brasileiro, sob a liderança de Zico, que chegou ao time após treinar a seleção do Japão na Copa do Mundo de 2006. Os dois gols de terça-feira foram marcados pelo atacante Deivid, e o meia Alex é a principal peça do time desde que foi contratado junto ao Cruzeiro, em 2004. Marco Aurélio, que se naturalizou turco e virou Mehmet para defender a seleção do país, é outro jogador fundamental no meio-campo da equipe, enquanto o lateral-esquerdo Roberto Carlos, que não jogou na terça por estar lesionado, é uma boa opção ofensiva pelos flancos. Apesar da rivalidade entre o Fenerbahçe e os outros dois times de Istambul, Galatasaray e Besiktas, a vitória foi considerada um triunfo do futebol turco, que está em ascensão desde que a seleção do país alcançou as semifinais da Copa do Mundo de 2002. "O orgulho não é apenas do Fenerbahçe, porque o Fenerbahçe era a Turquia e eles alcançaram esse sucesso em nome da Turquia", disse o ex-treinador da seleção Mustafa Denizli.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.