TV garantirá Paulistão, diz Farah

O Campeonato Paulista, assim como os outros estaduais, sofrerá grande impacto com as mudanças no calendário do futebol brasileiro e não contará com os quatro times grandes - São Paulo, Palmeiras, Corinthians e Santos - e outros três times de porte médio - Portuguesa, Guarani e Ponte Preta. Todos têm presença confirmada no Torneio Rio-São Paulo, onde mais duas equipes do estado vão ganhar vagas, provavelmente São Caetano e Etti Jundiaí. Assim, o Paulista será disputado por 12 equipes do interior. Há uma compensação: os três times melhores colocados, entre os nove paulistas que jogam o Rio-São Paulo, estarão classificados para um supercampeonato estadual. Esta competição, que será disputada em formato de quadrangular, contará ainda com a presença do primeiro colocado entre os 12 times do interior. Para a torcida, é provável que o campeão deste quadrangular seja considerado o campeão paulista. Apesar de apoiar as medidas anunciadas hoje pela CBF, que estabelece novo calendário para o futebol brasileiro, o presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Eduardo José Farah, reconheceu que o Campeonato Paulista será prejudicado pelas medidas. "O campeonato será de menor público, mas os clubes serão recompensados pelas cotas de televisão", garantiu. Segundo Farah, os times que disputarem o Paulista dividirão o dinheiro integral que seria destinado a todos, inclusive os clubes grandes."Receberão 100%, ao invés dos 40% de antes", disse. Detentora dos direitos de transmissão, a Rede Globo ainda não confirmou esta informação. O Paulista será disputado pelos sete clubes que compunham a primeira divisão neste ano e não estarão no Rio-São Paulo - mais cinco clubes ainda a se confirmar. Um deles pode ser o Etti Jundiaí caso não seja o campeão da A-2. Além do dinheiro, Farah destacou que os times do interior poderão atingir maior projeção, já que o campeão do estadual, entre os doze participantes, estará automaticamente no Rio-São Paulo do ano seguinte - o pior do estado no regional será rebaixado. "Agora, eles têm a chance de se tornarem grandes." Farah, no entanto, admitiu que, no início, as equipes podem enfrentar dificuldades financeiras. "Mas a federação está preparada para ajudá-los neste momento."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.