TVs pagarão por geradores em estádios

As redes de televisão vão pagar geradores próprios para os estádios em que estão previstos jogos com transmissão direta prevista, o que possibilitará que essas partidas sejam realizadas à noite, mesmo com a proibição governamental de se fornecer iluminação para eventos esportivos depois da 18 horas. Representantes da Rede Globo e da Traffic, que juntas detêm os direitos de todas as competições, garantiram que essa será a primeira alternativa para resolver o problema. Um segunda opção seria transferir alguns jogos para a Região Sul, que não será afetada pelo racionamento de energia.O diretor da Globo Esportes, Telmo Zaninni, explicou que a Rede Globo cobrirá os custos de geradores para "as duas ou três partidas" que vão ser transmitidas em cada meio de semana. Os outros jogos de cada rodada devem ser realizados à tarde, a não ser que os clubes paguem geradores próprios. Só no Campeonato Brasileiro estavam marcados, inicialmente, 129 jogos noturnos - a maioria terá de ser remarcada.O presidente e dono da Traffic, J. Hawilla, também pretende pagar por geradores para manter no horário noturno as partidas da Copa Mercosul e da Taça Libertadores, das quais a empresa detém os direitos - ainda controla o departamento de esportes da Band. "É a idéia mais factível. No Mundial de Clubes já utilizamos geradores", explicou.Ambos os representantes das emissoras concordam que os jogos podem ser transferidos para o Sul, se os custos forem menores. "Vamos analisar cada um dos casos antes dos jogos", explicou Zaninni. Nesse caso, as emissoras seriam responsáveis por pagar as passagens das equipes. A utilização de geradores, no entanto, parece mais provável porque o montante gasto não é grande diante das cifras que envolvem o futebol.Segundo a General Eletric, o aluguel mensal de um gerador a diesel gira em torno de R$ 40 mil. A compra de um gerador custaria R$ 1,3 milhão.O vice-presidente da CBF para o Sudeste, Nabi Abi Chedid, confirmou que os interesses das emissoras de televisão devem ser preservados na reelaboração da tabela. "Tudo depende da televisão porque ela que paga e, por isso, manda no futebol", reconheceu.Os representantes das televisões acreditam que os clubes serão os maiores prejudicados pela medida governamental. "A televisão não terá maiores problemas, mas os clubes sim", observou Zaninni. Ávila adota discurso semelhante, minimizando os seus prejuízos. "Vamos ter prejuízos, mas todos os segmentos vão sofrer." No Rio, o governador do Estado, Anthony Garotinho, afirmou que vai pagar, com recursos públicos, os geradores do Maracanã para que as partidas sejam realizadas à noite. A próxima partida da Libertadores, entre Cruzeiro e Palmeiras, na próxima semana, está inicialmente previsto para Belo Horizonte, sem horário definido. O presidente do Palmeiras, Mustafá Contursi, conversou com Zanini sobre a realização da partida, mas ainda não há definição. Há a possibilidade de o jogo ser transferido para o Sul do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.