Ucrânia diz que Uefa está satisfeita com preparação da Euro 2012

Uma autoridade do futebol ucraniano dissenesta sexta-feira que a Uefa não está mais preocupada quanto acapacidade do antigo país soviético para dividir a organizaçãoda Eurocopa de 2012 com a Polônia. O vice-primeiro-ministro Ivan Vasyunyk afirmou à agência denotícias Unian que havia percebido uma abordagem mais positivade membros da Uefa durante visita à sede da entidade, em Nyon,na Suíça, na quinta-feira. "A atmosfera em Viena e agora em Nyon eram completamentediferentes", disse Vasyunyk, segundo a agência. "Eu não ouvinenhum membro da diretoria ou especialista duvidar ou criticaro trabalho da Ucrânia para a Euro 2012." Em nota nesta sexta-feira, a federação de futebol do paísgarantiu à Uefa que os problemas políticos internos na Ucrânianão afetarão seus preparativos para co-sediar a Euro 2012. Uma disputa entre o presidente Viktor Yushchenko e aprimeira-ministra Yulia Tymoshenko rachou a coalizão de governoeste mês. A menos que uma nova união seja formada, a Ucrâniapode realizar sua terceira eleição parlamentar em três anos. A Uefa deve decidir na próxima semana se retira o evento daUcrânia e da co-anfitriã Polônia, após criticar durante meses oprogresso na construção de estádios e a modernização dainfra-estrutura. Uma delegação ucraniana, que incluiu o viceprimeiro-ministro Ivan Vasyunyk e o chefe da FederaçãoUcraniana de Futebol, Hryhory Surkis, foi à Suíça encontrar-secom autoridades da Uefa antes da reunião de diretoria daorganização, no dia 25 de setembro. "O vice primeiro-ministro disse que a Euro 2012 se tornou oprimeiro projeto na história da Ucrânia que unificou todas asforças políticas", afirmou o comunicado da federação defutebol. Fontes familiarizadas com um relatório sobre o progresso doevento que a Uefa elabora para o encontro do final do mêsdisseram à Reuters que a associação crê ser muito cedo paradecidir se retira o torneio dos dois países. A federação de futebol da Ucrânia disse que autoridades daUefa notaram progressos no que tem sido uma das questões maisproblemáticas, a reforma do estádio olímpico de Kiev, onde serárealizada a final.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.