Franck Fife / Reuters
Franck Fife / Reuters

Uefa abre investigação sobre cantos racistas e homofóbicos da torcida da Hungria na Eurocopa

Mbappé e Benzema teriam sido alvo de cânticos racistas; faixas e cartazes anti-LGBT foram levados para o estádio

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2021 | 17h51

A Uefa informou neste domingo que irá abrir uma investigação sobre 'possíveis atos discriminatórios' racistas e homofóbicos da torcida da Hungria nos dois jogos que a seleção do país disputou na Eurocopa. A seleção húngara enfrentou Portugal e França na Puskas Arena, em Budapeste, com o estádio lotado nas duas ocasiões.

Segundo a imprensa francesa, a cada vez que Mbappé tinha a bola no jogo contra a Hungria, gritos de macaco eram entoados nas arquibancadas. Benzema, que tem raízes argelinas, também foi alvo de atos discriminatórios da torcida húngara.

Além disso, faixas e cartazes com dizeres 'anti-LGBT' foram levados para a arquibancada no primeiro jogo da Hungria, contra Portugal, e cânticos homofóbicos contra Cristiano Ronaldo foram entoados - o jogador é heterossexual.

Na última semana, o parlamento húngaro aprovou uma lei que proíbe a "promoção" da homossexualidade entre menores de idade, restringindo os direitos de informação dos jovens com relação à homossexualidade e transexualidade. O país é governado pelo primeiro-ministro de extrema-direita Viktor Orbán.

A Hungria acabou derrotada por Portugal por 3 a 0 e empatou com a França em 1 a 1. Na última rodada do grupo, joga contra a Alemanha na Allianz Arena, em Munique, e a Câmara Municipal da cidade alemã pediu que o estádio seja iluminado com as cores do arco-íris, símbolo do movimento LGBT.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.