Felix Ordonez/Reuters
Felix Ordonez/Reuters

Uefa abre processo disciplinar contra José Mourinho

Federação investigará comentários 'inapropriados' do técnico do Real Madrid após derrota

AE-AP, Agência Estado

28 de abril de 2011 | 13h41

NYON - A Uefa abriu nesta quinta-feira um processo disciplinar contra José Mourinho para investigar os comentários "inapropriados" do técnico do Real Madrid depois do jogo em que sua equipe foi derrotada por 2 a 0, na última quarta, no Estádio Santiago Bernabéu, pelas semifinais da Liga dos Campeões da Europa.

A entidade que controla o futebol europeu não especificou as acusações contra o treinador português, que insinuou que a Uefa conspira para ajudar o Barcelona. O organismo indicou que seu comitê disciplinar julgará o caso no próximo dia 6 de maio.

Mourinho também será investigado por sua expulsão após protestar contra um cartão vermelho dado ao zagueiro Pepe, que foi expulso após cometer uma dura falta sobre o lateral brasileiro Daniel Alves. Depois da expulsão, o Barcelona garantiu a vitória com dois gols de Messi no segundo tempo.

"O processo contra o Real Madrid está relacionado com o lançamento de mísseis (objetos), uma invasão do gramado (de um torcedor), um cartão vermelho a Pepe, à expulsão do técnico José Mourinho, assim como os comentários inapropriados do senhor Mourinho à imprensa depois da partida", informou a Uefa em um comunicado.

Além disso, o comitê disciplinar da entidade ainda investigará o cartão vermelho aplicado ao goleiro reserva do Barcelona, José Pinto, em um conflito ocorrido na beira do gramado logo depois do término do primeiro tempo.

A junta diretiva do Barcelona se reuniu nesta quinta para decidir se entraria com uma ação na Uefa contra Mourinho, que bateu pesado contra Pepe Guardiola, dizendo que o treinador pode estar próximo de ganhar a sua segunda Liga dos Campeões, sob o comando do time catalão, com a ajuda da arbitragem. A Uefa, porém, não deixou claro se o processo disciplinar foi provocado por uma possível denúncia do Barcelona.

"Guardiola é um fantástico treinador, mas ganhou uma Liga dos Campeões que me daria vergonha de ganhá-la com o escândalo de Stanford Bridge. E este ano, se vencê-la, será com o escândalo do Santiago Bernabéu. Não sei se é pela publicidade da Unicef (estampada na camisa da equipe), pela amizade com (Angel María) Villar (presidente da Real Federação Espanhola de Futebol), ou porque são simpáticos. Mas eles conseguiram este poder. Os outros não têm nenhuma possibilidade", declarou Mourinho após o jogo de quarta-feira.

Ao falar de Stamford Bridge, Mourinho se referiu ao fato de que, em 2009, o Barcelona eliminou o Chelsea, na Inglaterra, na semifinal da Liga dos Campeões, em um jogo no qual a equipe da casa reclamou da não marcação de vários pênaltis.

A partida de volta entre Barcelona e Real da semifinal da Liga dos Campeões será disputada na próxima terça-feira, no Estádio Camp Nou, onde Mourinho não poderá ficar no banco de reservas e o time madrilenho não contará também com Pepe e Sergio Ramos, esse último punido com o terceiro cartão amarelo no duelo da última quarta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.