Uefa abre processo no caso Mourinho

A Uefa anunciou nesta segunda-feira ter aberto um processo disciplinar contra o Chelsea, seu treinador, o português José Mourinho, e mais dois funcionários do clube inglês - o auxiliar técnico Steve Clarke e o segurança Les Miles. Tudo por causa da polêmica com o árbitro alemão Anders Frisk, durante o jogo com o Barcelona, pela Liga dos Campeões da Europa.Na partida entre as duas equipes, dia 23 de fevereiro, no Camp Nou, Mourinho, com o testemunho dos outros dois funcionários do clube, disse que viu o técnico do Barcelona, Frank Rijkaard, entrar no vestiário de Frisk durante o intervalo. A declaração do treinador do Chelsea causou polêmica na Europa e o árbitro alemão chegou, inclusive, a receber ameaças de morte - por suposto favorecimento ao time espanhol -, encerrando sua carreira por conta disso.A Uefa revelou ter investigado o caso e considerou ?falsa? a acusação de Mourinho. ?Há várias formas de punição possíveis. Desde multa até suspensão?, revelou o porta-voz da entidade, William Gaillard, admitindo a possibilidade do Chelsea ser eliminado da Liga dos Campeões.?A situação gerada pelos incidentes em Barcelona é muito grave e implica numa ameaça ao futuro do futebol?, afirmou William Gaillard, que revelou que o caso será avaliado pela Comissão Disciplinar da Uefa até dia 31 de março.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.