Joel Auerbach/AP
Joel Auerbach/AP

Uefa acusa ex-técnico de seleção inglesa feminina de ameaçar funcionária

Segundo entidade, Mark Sampson se comportou de forma agressiva após derrota por 3 a 0 para o Holanda, em agosto

Estadão Conteudo

23 de março de 2018 | 15h38

A Uefa revelou nesta sexta-feira que realizou no ano passado uma investigação sobre delitos cometidos pelo ex-técnico da seleção inglesa feminina de futebol, Mark Sampson. Ele foi alvo de um inquérito por seu comportamento nas semifinais da Eurocopa Feminina, em agosto do ano passado, após a derrota de sua equipe para a Holanda, por 3 a 0.

+ Punido, PSG terá parte do estádio fechado

+ Confira a página especial de Copa do Mundo

De acordo com as informações divulgadas pela Uefa, Sampson, primeiramente, foi "abusivo verbalmente" com a diretora da sede, dizendo para ela: "É melhor você sentar".

Após o apito final, então, a ira do então técnico da seleção foi destinada à delegada de arbitragem da partida, Fijke Hoogendijk. Do lado de fora do vestiário dos árbitros, ele "se aproximou dela e gritou com uma linguagem corporal agressiva", de acordo com a investigação.

Sampson chamou Hoogendijk de "desgraça" e, então, "pegou uma barra de metal e a levantou sobre sua cabeça agressivamente, antes de jogá-la contra o chão". "Fijke estava preocupara que ele fosse agredi-la. Ela se sentiu intimidada e ofendida pelas ações", apontou a Uefa.

A FA negou-se a comentar o caso nesta sexta-feira. A investigação só foi liberada agora, mas terminou em setembro, com a suspensão de Sampson por três partidas, anunciada pela Uefa no dia 21, um dia depois de o treinador ser demitido da seleção.

A dispensa de Sampson, no entanto, aconteceu por outro escândalo. O treinador foi acusado de praticar bullying e racismo contra diversas jogadoras que comandou ao longo da carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.