Francois Walschaerts/Reuters
Francois Walschaerts/Reuters

Uefa celebra sucesso da Liga das Nações e não descarta VAR nesta temporada

Novo torneio organizado pela entidade estreou este ano, com o intuito de substituir alguns amistosos das seleções do continente, e agradou os torcedores

Estadão Conteúdo

20 de novembro de 2018 | 14h14

O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira e comemorou o sucesso da Liga das Nações. O novo torneio organizado pela entidade estreou este ano, com o intuito de substituir alguns amistosos das seleções do continente, e agradou os torcedores.

"Foi e é mais bem sucedido do que pensávamos. É muito interessante e todos os números são fantásticos", disse Ceferin, em Bruxelas, antes de acrescentar, em tom de brincadeira, que está ciente de que "alguns dos grandes estavam chateados, porque eles foram rebaixados" na competição.

O torneio europeu é dividido em quatro divisões de quatro chaves cada, com ascensão e rebaixamento previstos. A fase de grupos foi disputada este ano, com Alemanha e Croácia rebaixadas e França, Bélgica, Itália e Espanha eliminadas. As semifinais serão disputadas em 2019, com Inglaterra, Portugal, Holanda e Suíça.

O presidente da Associação dos Clubes Europeus (ECA) e presidente da Juventus, Andrea Agnelli, também elogiou a nova competição. "É muito apreciada pelos fãs e pelos jogadores. É um sucesso", disse Agnelli.

Ainda nesta terça, Ceferin também não descartou a atuação da arbitragem de vídeo (VAR) nas competições ainda nesta temporada. "No mais tardar", segundo ele próprio, o sistema estará pronto para ser utilizado em competições europeias na próxima temporada.

O presidente da UEFA disse ainda que os preparativos para o VAR, tanto na especialização de árbitros quanto em aspectos técnicos, já estão em andamento. "Espero um relatório daqui a uma semana e depois vamos ver quando podemos implementá-lo ", disse ele.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.