Clodagh Kilcoyne/Reuters
Clodagh Kilcoyne/Reuters

Uefa confirma introdução de uma 3ª competição de clubes a partir de 2021

Entidade que regula o futebol europeu criará campeonato abaixo da Liga Europa, ainda sem nome definido

Estadão Conteúdo

02 Dezembro 2018 | 21h54

A Uefa confirmou neste domingo que vai introduzir no calendário do futebol europeu uma terceira competição de clubes a partir de 2021. O novo campeonato, chamado provisoriamente de UEL2, será de um status inferior ao da Liga Europa, o segundo mais importante torneio de times do Velho Continente, atrás apenas da Liga dos Campeões.

O planos para realização deste novo evento foram aprovados justamente neste domingo pelo comitê executivo da Uefa, sendo que a ideia é que as partidas do mesmo ocorram às quintas-feiras à noite (no horário europeu), assim como já acontece na Liga Europa.

A intenção da Uefa com esta nova competição é dar a mais países a oportunidade de disputar uma competição continental. Este torneio a ser lançado em 2021 contará com oito grupos, com quatro clubes em cada um, e somente o primeiro colocado de cada chave avançará diretamente ao estágio seguinte.

Porém, ao mesmo tempo em que a UEL2 vai "popularizar" o futebol europeu, a Liga Europa terá uma redução de 48 para 32 times participantes. E depois da fase de grupos desta nova competição haverá uma rodada eliminatória para os times que terminarem em segundo lugar em cada chave e também para os terceiros colocados dos grupos da Liga Europa. Assim, serão determinados os conjuntos que comporão as oitavas de final.

E um novo formato de mata-mata ocorrerá na fase anterior às oitavas de final da Liga Europa: os terceiros de cada grupo das Liga dos Campeões enfrentarão os vice-líderes da Liga Europa.

"A nova competição de clubes da Uefa fará os torneios mais inclusivos do que eram antes", ressaltou o presidente da entidade que controla o futebol europeu, Aleksander Ceferin, neste domingo, em Dublin, na Irlanda, onde foram sorteados os grupos das Eliminatórias da Eurocopa de 2020. "Haverá mais jogos para mais clubes, com mais federações representadas na fase de grupos", completou o dirigente.

A Uefa garantirá assim que ao menos 34 dos 55 países filiados à entidade, em vez dos 26 atuais, estejam representados na fase de grupos de suas competições.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.