SEDAT SUNA/ EFE
SEDAT SUNA/ EFE

Uefa confirma que investigará cânticos pró-Putin da torcida do Fenerbahçe

Após eliminação do time, atualmente treinado por Jorge Jesus, torcedores turcos cantaram a favor do presidente russo durante partida válida pela segunda fase preliminar da Liga dos Campeões

Redação, Estadão Conteúdo

28 de julho de 2022 | 13h13

A Uefa confirmou nesta quinta-feira que abriu procedimento disciplinar para investigar os cânticos entoados por parte da torcida do Fenerbahçe na partida contra o Dínamo de Kiev, na quarta, pela fase preliminar da Liga dos Campeões. Alguns torcedores gritaram palavras de apoio ao presidente russo Vladimir Putin numa tentativa de afrontar o rival ucraniano.

"Um inspetor de Ética e Disciplina da Uefa vai conduzir uma investigação sobre o alegado comportamento inadequado de torcedores do Fenerbahce durante a partida contra o Dínamo de Kiev, disputada no dia 27 de julho, em Istambul, na Turquia", anunciou a Uefa, em comunicado.

O Regulamento Disciplinar da Uefa, cujo artigo quatro prevê a possibilidade de abrir investigação nestes casos, não indica quais possíveis punições poderão ser aplicadas ao time turco, atualmente comandado pelo técnico Jorge Jesus, ex-Flamengo.

Os cânticos geraram reação diplomática por parte da Ucrânia. Nesta quinta, o embaixador do país na Turquia, Vasyl Bodnar, lamentou o episódio. "O futebol é um jogo justo. Ontem, o Dínamo de Kiev foi mais forte. É muito triste ouvir as palavras de apoio dos torcedores do Fenerbahce em favor de um assassino e agressor russo, que bombardeou o nosso país", disse Bodnar, em seu perfil oficial nas redes sociais.

Ele reconheceu que apenas uma parte da torcida do time turco fez as provocações ao clube ucraniano. "Sou grato ao povo amigo da Turquia pelo seu apoio à Ucrânia e pelo reconhecimento das atitudes inadequadas de alguns torcedores", declarou o embaixador ucraniano.

Acostumada a ser aliada da Rússia, a Turquia tem demonstrado oficialmente uma postura neutra no conflito entre russos e ucranianos, iniciado no fim de fevereiro, quando a Rússia invadiu o país vizinho. Os turcos têm liderado a iniciativa de propor conversas e reuniões entre as duas partes em seu território.

A partida, que marcou a eliminação precoce do Fenerbahçe na Liga dos Campeões, foi tensa no segundo tempo, com expulsão e 13 cartões amarelos. Ao marcar um dos gols da vitória por 2 a 1, um dos atacantes do Dínamo provocou a torcida, o que teria causado a forte reação das arquibancadas. O clima tenso resultou, ao fim do jogo, na recusa do técnico romeno Mircea Lucescu, da equipe ucraniana, em participar da tradicional entrevista coletiva pós-jogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.