Uefa investiga dirigente croata por homofobia

Vlatko Markovic afirmou que não permitiria jogadores homossexuais na equipe da Croácia

AE-AP, Agência Estado

17 de novembro de 2010 | 14h35

A Uefa abriu uma investigação nesta quarta-feira contra o presidente da Associação Croata de Futebol, Vlatko Markovic, por homofobia. No início deste mês, o dirigente se envolveu em grande polêmica ao afirmar que não permitiria jogadores homossexuais na seleção croata.

O caso ganhou grandes proporções e associações que defendem os direitos dos homossexuais na Croácia denunciaram o dirigente. Embora tenha se desculpado na semana passada, Markovic será investigado por quebrar regras de discriminação no futebol. O Artigo 11 da Uefa prevê punições a quem "insultar a dignidade humana de uma pessoa ou um grupo de pessoas".

Uma comissão disciplinar da Uefa analisará o caso no dia 25 de novembro. Markovic, que busca no próximo mês a reeleição no comando da associação croata, pode ser suspenso de todas as atividades futebolísticas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolUefaVlatko MarkovicCroácia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.