Uefa investigará briga de jogadores no jogo Valencia x Inter

Valencia e Inter de Milão serão investigados pela comissão disciplinar da Fifa após o reserva do time espanhol David Navarro ter iniciado uma briga no fim do empate sem gols entre as equipes, que classificou o Valencia para as quartas-de-final da Liga dos Campeões. O zagueiro da equipe espanhola disse que estava envergonhado por ter corrido para dentro do campo e acertado um soco no rosto do zagueiro da Inter, Nicolás Burdisso, quebrando o nariz do argentino. Em seguida, ele foi perseguido por vários jogadores do time italiano. "Nunca me comportei dessa forma antes e tenho certeza que minha família ficará muito desapontada comigo", disse Navarro ao jornal esportivo Marca desta quarta-feira. "Estou envergonhado e muito arrependido do que fiz. Não vi as imagens pela televisão e a verdade é que nem quero ver. Estou triste porque nunca fiz nada como isso na vida antes e nem voltarei a fazer", lamentou-se. A reunião da Uefa será a mesma que avaliará problemas de torcida durante a partida Lille x Manchester United, no jogo de ida das oitavas-de-final, na França, há 15 dias. Após o soco de Navarro, vários jogadores da Inter correram atrás do jogador espanhol e a briga se espalhou por todo o campo e continuou no túnel de descida para os vestiários. Seguranças intervieram mas somente após muitos minutos a situação acalmou. A imprensa local noticiou que Navarro deixou o estádio Mestalla pela porta dos fundos. "Quando vi que eles estavam partindo para cima de Carlos (Marchena), corri para dentro do campo", disse Navarro. "Vi Burdisso e ia separá-los, mas simplesmente perdi a cabeça. Espero ser punido. Estou muito arrependido do que aconteceu e vou aceitar qualquer punição que for dada", desabafou o jogador, que acrescentou que tentará pedir desculpas pessoalmente a Burdisso.Argentino diz que soco "não foi coisa de homem"Nicolás Burdisso, afirmou nesta quarta-feira, que bater pelas costas "não é coisa de homem", após ter fraturado o nariz na noite de terça-feira devido a um soco recebido no final da partida entre sua equipe e o Valencia. "Estava brigando com outro jogador (o zagueiro Carlos Marchena, do Valencia), mas recebi um soco pelas costas, o que não é coisa de homem. Por isso, toda a equipe reagiu, o que acho que mostra que somos um grande grupo. Lamento a eliminação", comentou o zagueiro, já em Milão. "(A briga com Marchena) Faz parte das coisas que acontecem dentro de campo", disse o argentino, que acrescentou: "São coisas ditas normalmente e mais nada. Depois não soube o que aconteceu, mas me atingiram por trás. Confio no julgamento da Uefa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.