Georg Hochmuth/EFE
Georg Hochmuth/EFE

Uefa já planeja as Eliminatórias com 13 vagas para a Europa

Entidade quer manter modelo, apesar de a Fifa não divulgar vagas

Estadão Conteúdo

23 Março 2015 | 12h37

Só no próximo dia 30 de maio é que a Fifa vai anunciar quantas vagas cada continente terá na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Mesmo assim, cada entidade regional já precisa começar a pensar suas eliminatórias. Nesta segunda-feira, a Uefa anunciou que planeja manter o modelo do último Mundial, em formato para definir 13 vagas, ainda que a entidade pleiteie mais uma.

De acordo com o secretário-geral da Uefa, Gianni Infantino, a ideia é manter o sistema com nove grupos, com todos os primeiros colocados de cada chave se garantindo no Mundial. Os oito melhores segundos colocados jogam a repescagem, em formato de ida e volta, brigando pelas outras quatro vagas da Europa na Copa.

A única diferença na comparação com as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014 é a ausência da Rússia, que já está classificada para o Mundial por ser país sede. Assim, seriam sete grupos de seis equipes e dois com cinco. 

Gibraltar, entretanto, ainda pleiteia o direito de disputar uma vaga na Copa do Mundo. A localidade, que não é reconhecida como um país pela ONU, faz parte da Uefa e joga as Eliminatórias da Eurocopa, mas não faz parte da Fifa. A decisão será tomada pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês).

Apesar de ter vencido as últimas três edições da Copa e da presença de quatro europeus nas quartas de final do último Mundial, a Europa corre o risco até de perder uma vaga na próxima Copa do Mundo. Todos os continentes se acham no direito de pleitear mais um posto, especialmente a Concacaf (Américas do Norte e Central e Caribe), que avançou com três de seus quatro representantes às oitavas de final.

A decisão será tomada em reunião do comitê executivo da Fifa, no próximo dia 30 de maio. Já o sorteio da fase final das Eliminatórias vai acontecer em 25 de julho, em São Petersburgo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.