Ognen Teofilovski/Reuters
Ognen Teofilovski/Reuters

Uefa pune Zenit por exibição de bandeira do 'carniceiro dos Bálcãs'

Homenagem a Ratko Mladic, antigo líder militar sérvio, aconteceu no jogo contra o Skopje, da Macedônia, pela Liga Europa

Estadão Conteúdo

08 de dezembro de 2017 | 17h06

A Uefa puniu o Zenit com o fechamento de parte de seu estádio, em São Petersburgo, devido ao comportamento racista de torcedores que homenagearam Ratko Mladic, antigo líder militar sérvio, apelidado de "carniceiro dos Bálcãs", preso por crimes cometidos durante conflitos na antiga Iugoslávia, no anos 1990. O clube também terá que pagar uma multa de 10 mil euros (aproximadamente R$ 38,4 mil).

+ Suspenso pela Uefa por forçar cartão, Carvajal desfalca Real Madrid 

Alguns torcedores desenrolaram uma bandeira atrás de um dos gols do estádio durante a vitória por 2 a 1 do Zenit sobre o Skopje, da Macedônia, no dia 23 de novembro, em jogo válido pela quinta rodada do Grupo L da Liga Europa. A partida foi disputada um dia depois do julgamento que condenou Mladic a prisão perpétua por genocídio pelo Tribunal Penal Internacional.

A entidade que comanda o futebol europeu determinou que a área do estádio Krestovsky onde estes torcedores estavam será fechada. No local, será estendida a bandeira de uma campanha contra a discriminação, promovida pela Uefa, com os dizeres "Jogo Igual".

Classificado para a próxima fase da competição europeia como líder de sua chave, com 16 pontos - obtidos com cinco vitórias e apenas um empate -, o Zenit deverá voltar a campo em seu estádio, já pela fase de mata-mata da Liga Europa, somente no mês de fevereiro do ano que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.