Uefa quer gramado artificial em 2005

Os estádios europeus estarão autorizados a adotar grama artificial a partir de 2005. A decisão é da Uefa (União Européia de Futebol), que já começará, no próximo ano, a testar o novo piso em vários campos na Europa. Nesta quinta-feira, uma reunião entre a Uefa, a Fifa e especialistas em pisos esportivos, começou a estabelecer as exigências mínimas para que um estádio possa trocar seu gramado e adotar um piso sintético. "Os clubes que estiverem interessados em substituir os gramados de seus estádios já o podem fazer a partir de 2003, mas devem seguir as recomendações da Uefa, que foram aprovadas pela Fifa", afirmou um funcionário da entidade ao Estado.O objetivo é conseguir que, até 2005, todas as competições oficiais na Europa sejam disputadas em gramados artificiais. Embora o preço para a aquisição da nova grama seja superior ao piso natural, especialistas apontam que a manutenção do gramado artifical é muito mais econômica que a atual. Na Europa, onde o inverno afeta de forma rigorosa os campos, cuidar dos gramados é um dos principais gastos de um clube, fora os salários de seus jogadores.Um dos primeiros times a testar a nova grama, desenvolvida por mais de cem engenheiros, foi o Valência, ainda em 2000. Outros que podem adotar o novo piso é o Ajax da Holanda e equipes inglesas. O estádio de Amsterdã já está com um contrato assinado para substituir seu gramado por um piso artifical no ano que vem.Quem está gostando da idéia são as empresas do setor, que por anos desenvolveram gramas mais resistentes às mudanças de temperatura, mas que contavam com as mesmas características de gramas naturais. Pelos cálculos das empresas, o setor deverá movimentar US$ 1 bilhão por ano, somente na Europa, a partir de 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.