UEFA quer regulamentar uso de vídeo

O Comitê Executivo da União Européia de Futebol (UEFA) pretende que as imagens em vídeo-teipe sejam utilizadas com mais freqüência para esclarecer lances duvidosos e principalmente para punir faltas que árbitros e auxiliares não conseguem detectar na hora em que ocorrem. A sugestão foi apresentada nesta sexta-feira, em reunião na sede da entidade, em Nyon, e vai ser levada à Comissão de Disciplina da entidade. Se for aceita, servirá como recurso para impedir que as regras do jogo sejam burladas.Na verdade, o uso de vídeos já ocorre, em situações e em julgamentos especiais. A própria Fifa estimula esse recurso, embora também não tenha "leis" específicas. O que o Comitê Executivo pede é a regulamentação dessa prática, a criação de normas claras, que possam ajudar dirigentes, jogadores, juízes e advogados. No comunicado divulgado após o encontro dos cartolas, fala-se que, em função de incidentes recentes, é preciso fixar, de forma precisa, "como utilizar esse importante recurso tecnológico." Há referência clara ao gol de mão marcado por Raul, na vitória de 3 a 2 do Real Madrid sobre o Leeds, no dia 6 de março, pela Copa dos Campeões. O árbitro não viu a malandragem e confirmou o lance. O atacante, posteriormente, foi a julgamento e recebeu suspensão, com base nas imagens mostradas pela televisão. A pena foi cancelada, dias depois, porque a Comissão de Apelo aceitou recurso dos advogados, segundo os quais houve uma "decisão objetiva" do árbitro da partida, que teve de ser aceita, "mesmo que errada". Se houver normas claras a respeito do uso de vídeos, lances como aquele vão a julgamento, independentemente do que decidiu o juiz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.