Uefa reluta em ver 36 equipes na Copa

Os dirigentes da União Européia de Futebol (Uefa) ainda não têm posição firmada em torno da proposta de aumentar de 32 para 36 o número de participantes do Mundial de 2006. Os principais cartolas do continente reuniram-se nesta quarta-feira em Roma para tratar do tema - além de outras questões regionais -, avaliaram pontos positivos e aspectos negativos da sugestão apresentada pela América do Sul e chegaram à conclusão de que precisam aprofundar mais os estudos. A tendência é a fecharem acordo, entre quinta e sexta-feira, em torno de uma posição comum.O sueco Lennart Johansson, presidente da Uefa, ficou em cima do muro. O antigo rival de Joseph Blatter à presidência da Fifa disse que a sugestão sul-americana é "inteligente" e que seu continente pretende levá-la em consideração. "A expansão da Copa é idéia de ganhadores e não de perdedores", observou Johansson. "Por isso, ninguém se atreve a dizer não a ela."Os alemães voltaram a manifestar simpatia pela ampliação, como já haviam feito, dias atrás, na reunião do Comitê Executivo da Fifa. "Temos capacidade para abrigar mais quatro seleções", confirmou Gerhard Mayer-Vorfelder, presidente da federação de futebol da Alemanha.A decisão será tomada em 3 de maio, em novo encontro do Comitê da Fifa. Se for aprovada, a Europa ganhará mais duas vagas (já tem 14) e a América do Sul ficará com uma. A quarta pode ser destinada à repescagem entre América Central e Ásia ou Oceania.A resistência maior, por enquanto, é do próprio Blatter, que não quer mexer na fórmula de disputa da competição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.