Uefa vai direcionar sorteio para Azerbaijão e Armênia não se enfrentarem

A Uefa anunciou nesta terça-feira que vai dirigir o sorteio das Eliminatórias Europeias da Copa do Mundo, em julho, de forma a proibir que Azerbaijão e Armênia caiam no mesmo grupo. Os dois países estão formalmente em guerra há mais de 20 anos, disputando o controle da região de Nagorno-Karabakh, reivindicada por ambos.

Estadão Conteúdo

16 de junho de 2015 | 11h37

Armênia e Azerbaijão estão tecnicamente em guerra desde 1988 pela disputa de Nagorno-Karabakh e seu entorno. Em 1991, um referendo decidiu pela independência da região, mas a República do Nagorno-Karabakh permanece sem qualquer reconhecimento internacional, nem mesmo da Armênia.

O local é controlado por um exército local com o apoio de forças armênias. Em março, o cessar-fogo de 20 anos foi mais uma vez desrespeitado, ocasionando na morte de militares de Nagorno-Karabakh e de invasores do Azerbaijão. Apesar do conflito, a Armênia participa normalmente dos Jogos Europeus, que estão acontecendo em Baku.

Nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, também houve o direcionamento para que Azerbaijão e Armênia não se enfrentassem. A mesma regra segue em vigor para duelos entre Rússia e Geórgia e também entre Espanha e Gibraltar. A Rússia, entretanto, vai sediar a próxima Copa e não participará das Eliminatórias. Gibraltar não é membro da Fifa e não pode jogar a Copa.

SORTEIO - Pelo que explicou a Uefa nesta segunda-feira, os 52 times serão divididos em sete grupos de seis equipes e outros dois com cinco. Por conta de acordos de transmissão, obrigatoriamente Inglaterra, França, Itália, Espanha e Holanda precisam estar em grupos de seis times, para fazerem 10 jogos. A Alemanha não entra nesse pacote.

Para o sorteio do próximo dia 25 de julho, serão montados seis potes, de acordo com o ranking de cada equipe no início do mês. A lista deve sofrer grande alteração na comparação com o ranking atual, porque os pontos da Eurocopa de 2012 deixarão de ser considerados, enquanto que os da Copa do Mundo perderão metade do valor. A tendência é a França não ser cabeça de chave, perdendo espaço para País de Gales e Romênia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.