Sebastião Moreira|EFE
Sebastião Moreira|EFE

Último treino da seleção brasileira tem apoio, vaias e autógrafos

Torcida reclama de pouco caso de jogadores e lembra o '7 a 1'

Daniel Batista, enviado especial a Recife, Estadão Conteúdo

24 de março de 2016 | 22h12

Cerca de 100 torcedores puderam acompanhar da arquibancada o treino da seleção brasileira na Arena Pernambuco nesta quinta-feira, o último antes da partida contra o Uruguai, sexta-feira, às 21h45, pelas Eliminatórias para a Copa de 2018. O treino ficou marcado pelos gritos de apoio, que logo se transformaram em vaias e acabou novamente em felicidades.

A atividade foi fechada na maior parte do tempo, sem a presença da imprensa e de torcedores. Os últimos 20 minutos foram abertos e os fãs fizeram uma grande festa na arquibancada. Os nomes de Neymar e David Luiz foram os mais gritados, principalmente pelo público feminino. No campo, os jogadores fizeram um rachão descontraído e depois treinaram finalização.

No fim da atividade, os jogadores não foram conversar com os torcedores que estavam na arquibancada, revoltando-os. Os gritos de apoio viraram vaias e "Vergonha, time sem vergonha", "Humildade, humildade", "Ahh, é 7 a 1" e "Uruguai" foram os gritos feitos pelos revoltados fãs dos atletas brasileiros.

Com os jogadores claramente incomodados, coube a Willian e David Luiz a missão de tentar acalmar os ânimos. Os dois foram aos torcedores, deram alguns autógrafos e jogaram uma bola cada, sem esboçar um sorriso sequer. Foi o suficiente para agradar aos brasileiros que lá estavam em busca de um pouco de atenção de seus ídolos.

O jogo com o Uruguai terá lotação máxima da Arena Pernambuco nesta sexta. Foram vendidos pouco mais de 44 mil ingressos para a partida.

Tudo o que sabemos sobre:
UruguaiDavidLuizWillianDavid Luiz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.