Um ano após transplante de fígado, Abidal joga amistoso

Pouco menos de um ano depois de ter sido submetido a um transplante de fígado, que colocou em dúvida e dificultou a continuidade da sua carreira, o lateral Eric Abidal disputou nesta terça-feira um amistoso que o Barcelona B fez contra o Istres, clube da segunda divisão do futebol francês.

AE, Agência Estado

19 de março de 2013 | 10h57

O jogador francês atuou por 65 minutos no duelo disputado na CT do Barça e pontuou mais um capítulo de superação da sua carreira. No início de seu longo calvário, o atleta retirou um tumor no fígado no dia 17 de março de 2011, após exames diagnosticarem um câncer. Na época, ele se recuperou do grave problema de saúde antes do previsto e chegou a atuar na decisão da Liga dos Campeões da Europa, no final de maio daquele ano, se consagrando campeão ao lado de seus companheiros.

Desde então, o lateral vinha jogando normalmente e dava sinais de que a preocupação com seu fígado já havia ficado para trás. Porém, em fevereiro do ano passado, o Barcelona informou que o atleta precisaria passar por um transplante de fígado. O jogador recebeu um fígado doado por seu primo Gerárd e a operação, realizada em abril do ano passado, foi um sucesso, mas a sua continuidade no futebol profissional foi colocada em xeque.

Naquela ocasião, o médico Rafael Matesanz, presidente do Comitê Nacional de Transplantes da Espanha, disse que seria "muito complicado" Abidal seguir atuando profissionalmente, devido aos riscos provocados pelos impactos na região operada, muito frequentes no futebol de alto nível.

Após ter sido operado em abril do ano passado, o francês só recebeu alta médica para atuar no último dia 21 de fevereiro. E, agora, o médico do Barcelona, Ricard Pruna, já fala de forma otimista sobre a possibilidade de o atleta voltar a jogar em breve pelo time catalão em competições oficiais.

"A alta médica foi um passo muito importante porque foi um consenso entre os médicos que lhe transplantaram o fígado na clínica, os do clube e as pessoas que estiveram ao seu lado. Dar a alta médica após uma doença assim não é fácil. A partir daqui se informou aos técnicos (da comissão de Tito Vilanova) que poderiam começar a elevar as cargas de treinamento com a intensidade que está realizando o grupo e é certo que ele está assimilando as mesmas cada vez melhor. O jogador, pouco a pouco, está chegando ao nível de seus companheiros", afirmou Pruna.

O médico do clube, porém, exibiu cautela ao não estabelecer uma data prevista para a sua volta aos gramados pelo time principal do Barcelona. "Não se pode dizer exatamente quando reaparecerá, mas seu nível anímico é bom porque ele vê que falta pouco para isso. Acho que não demorará muito para entrar em uma convocação (para uma partida). Dependerá dos técnicos, mas estamos próximos", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBarcelonaÉric Abidal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.