Reprodução site do Sport
Reprodução site do Sport

Um dia após empate em casa, Nelsinho critica diretoria e pede demissão do Sport

"Eu estou fora do Sport. Não consigo trabalhar com pessoas que querem enganar todo mundo", disparou Nelsinho

Estadão Conteúdo

24 de abril de 2018 | 15h54

Nelsinho Baptista não é mais técnico do Sport. Visivelmente magoado, ele criticou a postura da diretoria do clube, em entrevista coletiva nesta terça-feira, em Recife, e a reformulação constante do elenco, que passou por transformações ao longo desta temporada e atrapalhou o projeto que ele pretendia implementar como treinador da equipe.

+ Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

O comandante confirmou a sua saída pouco mais de 12 horas depois de o time empatar por 1 a 1 com o Botafogo, na noite de segunda-feira, na Ilha do Retiro, no fechamento da segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Nelsinho havia assumido o Sport em dezembro do ano passado. E neste curto período de tempo desde a sua chegada, o time amargou duas eliminações consecutivas, na Copa do Brasil e no Campeonato Pernambucano, e o técnico também já alertou sobre os riscos de rebaixamento no Brasileirão, embora a competição esteja ainda em seu início.

"Eu estou fora do Sport. Não consigo trabalhar com pessoas que querem enganar todo mundo", disparou Nelsinho. Em quatro meses de trabalho, acumulou sete vitórias, sete empates e apenas três derrotas. Porém, na Copa do Brasil, foi eliminado pelo Ferroviário, do Ceará, com uma derrota amarga nos pênaltis dentro da Ilha do Retiro. No Campeonato Pernambucano, por sua vez, também decepcionou ao perder para o Central por 1 a 0, fora de casa, e acabar eliminado na semifinal.

"O torcedor do Sport merece essa consideração. E eu vim dizendo isso. É um filme que vi há nove anos e estou vendo hoje. O terrorismo dentro do CT. Em 2009 aconteceu isso e o Sport caiu. Eu não vou sair calado, estou denunciando isso em respeito ao torcedor", continuou Nelsinho, que ainda completou: "Eu estou desabafando algo que vem comigo há dez anos. Não consigo ficar calado. A debandada de atletas que saiu daqui, que quiseram sair, foi muito grande. Além de perder atletas, tinha uma crise para trazer jogadores. O trabalho foi bom, o resultado é que não. Eu me sinto frustrado".

Na parte final da coletiva, Nelsinho confessou estar com os salários atrasados. "Estou no Sport há quatro meses e não recebi um direito de imagem, só dois salários de carteira de trabalho (CLT). Como pode? E o pior de tudo é que ninguém me dá uma satisfação, ninguém fala nada", confessou o treinador, que depois prometeu: "Essa é a minha última passagem pelo Sport. Agradeço por tudo que eu passei aqui. Talvez o torcedor esteja chateado comigo, mas lá na frente ele vai entender".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSport

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.