AFP
AFP

Eusebio Di Francesco é demitido pela Roma após queda na Liga dos Campeões

Técnico estava no clube italiano desde junho do ano passado, mas não resistiu a derrota para o Porto

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de março de 2019 | 15h58

A queda nas oitavas de final da Liga dos Campeões foi a gota d'água para a passagem de Eusebio Di Francesco pela Roma. Apenas um dia após a eliminação para o Porto, o clube anunciou nesta quinta-feira a demissão de seu treinador, que estava no cargo desde junho de 2017.

"Da minha parte e de toda a Roma, eu gostaria de agradecer o Eusebio por seu esforço. Ele sempre trabalhou com uma atitude profissional e colocou o interesse do clube sobre os seus próprios. Desejamos a ele o melhor para sua carreira", declarou o presidente do clube, Jim Pallotta.

Ex-jogador da própria Roma, pela qual conquistou o título italiano em 2000/2001, Di Francesco ficou pouco menos de duas temporadas no clube. Ele deixa a equipe na quinta colocação do Campeonato Italiano, a três pontos da zona de classificação para a Liga dos Campeões, e eliminada da principal competição de clubes da Europa, após a derrota por 3 a 1 na prorrogação para o Porto.

Nem mesmo a revolta da Roma com a atuação do árbitro amenizou o peso da queda para DI Francesco. O mesmo James Pallotta considerou que o VAR "roubou" o time italiano ao não dar um pênalti sobre Schick já na prorrogação. Vale lembrar que foi justamente o árbitro de vídeo que anotou o pênalti anotado por Alex Telles e que selou a classificação do Porto.

Em comunicado, a Roma prometeu anunciar em breve o seu novo treinador. E a imprensa italiana garantiu que o nome mais forte para o cargo é Claudio Ranieri, campeão inglês com o Leicester em 2015/2016 e ex-jogador e técnico da própria equipe italiana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.