Um dia muito especial para Rojas

Mal o árbitro Paulo César de Oliveira acabou a partida, Rojas abraçou o reserva Leonardo e o levantou do chão. O preparador de goleiros improvisado como treinador havia conseguido o que nomes de prestígio não conseguiram: depois de dez anos, o São Paulo voltará a disputar a Libertadores da América. Em vez de Rojas aproveitar o momento, já que sabe que não comandará o time na importante competição de 2004, elogiou os seus jogadores. ?A vitória foi deles. Houve uma aplicação total aqui em Campinas. Havia o sonho de voltar à Libertadores. O nosso grupo foi bastante pressionado, mas conseguiu se manter forte. A classificação acabou sendo mais do que justa. O São Paulo não conseguiu ser campeão brasileiro, mas conseguiu o seu segundo objetivo: os jogadores levaram o clube para a Libertadores?, elogiou o técnico. O time realmente estava eufórico com a vitória deste domingo. ?Eu queria comemorar os meus 500 jogos no São Paulo com a classificação para a Libertadores. Foi exatamente como eu gostaria. A aplicação do nosso time tem de ser destacada. O São Paulo teve raça e personalidade para ganhar da Ponte Preta em Campinas e colocá-la perto do rebaixamento. Mostramos o nosso potencial?, comemorou Rogério Ceni. O grupo tinha o que desabafar. Foi questionado demais durante o ano. Torcedores invadiram duas vezes o CT para protestar contra o time. Chegaram até a levar pipocas e jogaram no campo, insinuando falta de coragem dos jogadores. Kaká foi vendido para o Milan depois de ter sido muito ofendido pelos são-paulinos. Depois da derrota por 3 a 1 para o River Plate na primeira partida da semifinal da Copa Sul-Americana, novos questionamentos. ?Mostramos o nosso poder de reação. Sabíamos o que estava em jogo aqui em Campinas. Mas está aí a vitória e a Libertadores. Agora o torcedor tem de nos aplaudir?, desabafou Souza, autor do gol da virada. Do lado da Ponte, última colocada do Brasileiro, só tristeza.?Foi terrível a rodada. Não poderia ser pior. Temos de buscar forças não sei onde. Não podemos cair para a Segunda Divisão. Porque eu não sei se voltamos?, alertou o técnico Abel Braga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.