Arquivo/Civil Service FC
Arquivo/Civil Service FC

Um especial para festejar os 150 anos do futebol

Estadão lança neste sábado um caderno de 16 páginas sobre a história do esporte mais popular e apaixonante do planeta

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2013 | 18h11

SÃO PAULO - O pontapé oficial do futebol foi dado em um pub em Londres. Há exatos 150 anos, em uma noite de segunda-feira, um encontro com a presença de 11 homens concluiu dois objetivos. Primeiramente, terminou de formalizar as regras da modalidade e, ao criar a Associação Inglesa de Futebol, reuniu diversos clubes interessados em fortalecer o esporte e torná-lo cada vez mais popular. Todos os presentes ao encontro eram representantes de equipes da capital britânica. Delas, apenas uma ainda existe: é o Civil Service, um time que continua em ligas amadoras. No começo deste mês, o clube teve a honra de ser convidado pela família real britânica para jogar a primeira partida da história no jardim do Palácio de Buckingham, em comemoração ao 150º aniversário da Associação Inglesa.

"A formalização das regras permitiu que o futebol fosse praticado ao mesmo tempo de forma igualitária e competitiva", explicou Neil Ward, diretor do Civil Service. Antes não havia uma unificação das normas e, por isso, os jogos costumavam sem divididos: cada tempo era disputado conforme as regras de um dos times. Com o regulamento estabelecido, os clubes começaram a se organizar. Como não bastava jogar amistosos, foi criada a primeira competição da história: a Copa da Inglaterra.

Em julho de 1871, apenas 15 clubes se inscreveram, número considerado frustrante pela Associação, que já tinha 50 filiados. O título ficou com o Wanderers, de Londres. O torneio revelou talentos e aumentou a vontade dos dirigentes de montar uma seleção inglesa. Em acordo com o país vizinho, a Escócia, foi marcado o primeiro amistoso internacional da história. O resultado foi um empate sem gols.

O novo esporte passou a crescer principalmente nas áreas industriais. As famílias migravam das zonas rurais para trabalhar como operários e o futebol passou a ser uma forma de entretenimento e identificação com o novo local. Após 20 anos de formalização, o futebol enfrentou a primeira polêmica. Depois de duas assembleias, foi aprovada em 1885 a profissionalização dos jogadores. Alguns clubes se revoltaram a mudança.

Ainda faltava, porém, organizar o calendário. Cada time tinha o próprio, com o número variado de jogos e disputas em diferentes copas regionais. Foi aí que William McGregor, diretor do Aston Villa, criou o Campeonato Inglês, em 1888. O formato de disputa reuniu as 12 equipes em um sistema de pontos corridos com partidas de ida e volta. Esse regulamento vale até hoje e foi copiado por diversos países, como o Brasil. Na virada para o século 20, o futebol começou a superar fronteiras, graças a excursões de clubes ingleses pelo exterior e também a homens que levaram para outros países, como o Brasil, as regras e os objetos para a prática da modalidade.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
futebol150 anos de futebolfifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.