Um fax separa França do Bayer

França está vendido ao Bayer Leverkusen por US$ 8,5 milhões de dólares. Já acertou salários com o clube alemão. A duração do contrato é de cinco anos. Também foi assinado um seguro com um banco europeu que garante tranqüilidade a França e ao Bayer. "Se o França se contundir jogando, o Bayer recebe todo o dinheiro que pagou ao São Paulo e o França recebe tudo a que teria direito pelo tempo que jogaria pelo Bayer", explica Wagner Ribeiro, empresário do jogador.A dúvida é uma só. As inscrições para o Campeonato Alemão terminam terça-feira e não se sabe se França deve se apresentar em janeiro ou julho. O Bayer precisa enviar para o São Paulo a "transfer list", um documento que permite a inscrição do jogador já para janeiro. O procedimento é simples. O documento é enviado por fax, o presidente Paulo Amaral assina, França também assina e o documento é mandado de volta para a Alemanha. "Coisa de cinco minutos e tudo fica resolvido. Acho que o França vai para a Alemanha já em janeiro", diz Wagner Ribeiro.Leia mais no JT

Agencia Estado,

13 de janeiro de 2002 | 12h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.