JB Neto/AE
JB Neto/AE

Um morto e muitos feridos após brigas entre torcidas

Confrontos entre palmeirenses e são-paulinos aconteceram na capital e no interior, antes e após o clássico

Solange Spigliati, Agência Estado

22 de fevereiro de 2010 | 10h15

Os vários confrontos entre torcedores do São Paulo e do Palmeiras, ao longo do domingo deixou um saldo de pelo menos 20 feridos e um morto, segundo dados da Polícia Militar. O caso mais grave ocorreu em Jundiaí, no interior de São Paulo. Por volta das 23h15, as torcidas se encontraram na Rodovia dos Bandeirantes. Após o tumulto, 11 torcedores foram levados para o Hospital São Vicente de Paula.

Veja também:

linkSão-paulinos e palmeirenses são detidos após brigas

Do total de 11 vítimas, seis permaneciam em observação nesta segunda-feira, segundo o hospital. Dos seis (três de Sorocaba, um de São José do Rio Preto, um de Campinas e um de Amparo), cinco tinham ferimentos leves.

O torcedor morador de Amparo, Rafael Vinícius Moura Proeti, de 26 anos, sofreu uma amputação da mão direita, depois de tentar arremessar uma bomba caseira contra os palmeirenses. Outro torcedor, Alex Furlan de Santana, de 29 anos, morreu após receber um tiro na boca. O corpo já está sendo velado.

Entre os torcedores da capital paulista, feridos em outros cinco confrontos, um deles em Santo André, no ABC paulista, dois deles foram atingidos durante o tumulto na Rua Barão de Tefé, atrás do Shopping West Plaza, próximo ao Estádio Palestra Itália, e foram encaminhados para a Santa Casa de Misericórdia.

Segundo o hospital, Ricardo Barbosa Alves Maia, de 33 anos, e Diego Alves Assis, de 23 anos, deram entrada no pronto-socorro por volta das 17h15 de domingo. Passaram por exames de ultra-som e raios X e já tiveram alta, segundo o hospital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.