Um novo projeto de paz para o futebol

A Comissão Interministerial pela Paz no Esporte apresentará à Secretaria de Segurança Pública, ainda esta semana, o projeto piloto ?Paz no Esporte?, que começou a ser desenvolvido em abril. O documento é inspirado no modelo de segurança da Inglaterra, com sistema de banco de dados inteligente para evitar confrontos entre as torcidas. Nesta terça-feira, Marco Aurélio Klein, coordenador-executivo da Comissão Interministerial pela Paz no Esporte, reuniu-se com Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol, para apressar a implementação do projeto com base nas três mortes, nos últimos dois dias, em confronto entre torcedores. Klein esteve na Europa, onde acompanhou o trabalho da segurança nos estádios e arredores e entende que o mesmo sistema pode ser adotado em São Paulo. O documento contém cinco pontos fundamentais: propõe ajustes no Estatuto do Torcedor (Legislação); define o papel de cada setor envolvido nos jogos (Responsabilidade); tem banco de dados mais inteligente, que permite o planejamento seguro antes dos jogos de baixo e grande risco (Inteligência); sistematização de todas as medidas; e excelência na execução das funções. Klein explica que ?o projeto foi feito por muitas mãos. As polícias militar e civil, Federação Paulista de Futebol, Ministério Público estão nos apoiando. A idéia é acrescentar medidas novas ao que já existe de uma maneira conjunta, e não isolada como acontece hoje?.

Agencia Estado,

18 de outubro de 2005 | 18h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.