UNE quer promover ato pela moralização do futebol no Rio

Fundada em 1937 e conhecida por seu envolvimento em atos políticos de vários momentos da história do Brasil, a União Nacional dos Estudantes (UNE) vai promover pela primeira vez um ato relacionado ao futebol. O protesto está marcado para esta terça, às 10h30, no terreno da entidade, na Praia do Flamengo, e será voltado para ?a moralização do futebol do Rio?. O presidente da UNE, Gustavo Petta, abraçou movimento liderado por Flamengo, Botafogo e América, que recentemente denunciaram uma série de irregularidades atribuídas à Federação de Futebol do Rio (Ferj). Em 15 de março, o presidente do Flamengo, Marcio Braga, levou as denúncias ao ministro do Esporte, Orlando Silva, ex-presidente da UNE. As principais se referem a desvio de verbas e suspeita de manipulação de resultados no Campeonato Carioca. ?Não se pode permitir uma desorganização deste nível em uma atividade importante para o país. A UNE sempre esteve atenta às questões de interesse nacional e, por isso, vamos pressionar a CBF, as autoridades governamentais, judiciárias e desportivas, cobrando maior transparência nas decisões da Ferj e punição para aqueles que usurparam de um bem público. Como podemos realizar uma Copa do Mundo se não conseguimos nem mesmo organizar o nosso quintal??, declarou Gustavo Petta. A atual direção da federação vive em meio a uma batalha judicial, que já afastou e reconduziu várias vezes ao cargo o presidente Rubens Lopes. Além de dirigentes de Flamengo, América e Botafogo, o deputado estadual Roberto Dinamite (PMDB), candidato à presidência do Vasco, é esperado na manifestação. O Portal Estadão tentou contato por mais de uma vez com a assessoria da Ferj e com Lopes e não obteve retorno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.