UNE reúne estudantes em protesto por moralização na Ferj

Cerca de 100 estudantes participaram nesta terça-feira de ato ?pela moralização do futebol carioca?, na Praia do Flamengo. Com palavras de ordem, os manifestantes elaboraram documento, que será entregue ao ministro do Esporte, Orlando Silva, e à diretoria da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no qual cobram uma investigação ?rigorosa? na Federação de Futebol do Rio (Ferj), acusada de irregularidades por dirigentes de Flamengo, Botafogo e América. O protesto foi convocado pela União Nacional dos Estudantes (UNE). ?O futebol, um patrimônio nacional, é muito desrespeitado no Rio, onde a entidade que deveria representá-lo bem passa por graves problemas de gestão, falta de transparência, denúncias de desvio de verbas?, disse o presidente da UNE, Gustavo Petta. Os presidentes do Flamengo, Marcio Braga, e do América, Reginaldo Mathias, e o candidato de oposição à presidência do Vasco, Roberto Dinamite, discursaram a favor da reestruturação do futebol carioca. Receberam aplausos e depois tiveram de atender ao pedido de autógrafos dos estudantes, que também reclamaram do preço alto dos ingressos do Campeonato Carioca. Bebeto de Freitas, do Botafogo, não se livrou de outros compromissos e, por isso, não compareceu à manifestação. ?Foi um ato sem legitimidade. Crianças de 12 a 15 anos foram arregimentadas para o evento?, disse o assessor de Imprensa da Ferj, Pedro Costa. Ele acrescentou que a federação vai mover ação na Justiça contra o presidente da UNE.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.