União Ciclista Internacional fará 7 mil testes antidoping

Medida visa coibir o uso de substâncias proibidas, que mancharam o esporte na temporada passada

Efe

09 de janeiro de 2008 | 16h44

A União Ciclista Internacional (UCI) aumentará de 1 mil para 7 mil o número de testes antidoping surpresa que serão realizados na temporada 2008. A UCI explicou, nesta quarta-feira, que em 2007 realizou um total de 1 mil testes antidoping surpresa, número que subirá para 7 mil em 2008. "Isso representa um aumento de volume considerável, mas não uma novidade quanto a este tipo de controle", afirmou.A UCI já dispõe de informações sobre a localização de todos os corredores das equipes do circuito Pró-Tour. As informações sobre o paradeiro dos ciclistas serão fornecidas pelo sistema Adams, que apresentará os dados necessários para encontrar o corredor que deve passar pelo teste surpresa, método criado pela Agência Mundial Antidoping (AMA) para substituir a habitual localização via fax.Segundo explica a UCI, as mostras de sangue serão analisadas por um laboratório credenciado pela AMA ou pela UCI. O modelo estatístico utilizado pelo laboratório de Lausanne na hora de avaliar os diversos elementos sanguíneos será o escolhido para determinar que perfis podem ser considerados como anormais.Os perfis anormais serão submetidos à avaliação de um grupo de cientistas independentes, que recomendarão à UCI as ações a serem tomadas.

Tudo o que sabemos sobre:
dopingcliclismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.