União e simplicidade impulsionam a Ponte

Surpresa neste início de Campeonato Paulista, onde ocupa a vice-liderança isolada do Grupo 1, com 10 pontos, a Ponte Preta faz da simplicidade e da união suas principais armas para se manter na briga por uma vaga na segunda fase. Para o técnico Estevam Soares, o desafio nos próximos jogos será manter a mesma regularidade e a determinação do grupo. "O mais importante é que todos estão conscientes de nosso trabalho. Temos um elenco jovem, mas com jogadores com enorme potencial técnico. E todos só vão aparecer se o time for bem", explica Soares como espera manter o astral elevado do time. Mesmo não mostrando um futebol vistoso, em campo os resultados têm vindo numa crescente. Em seis jogos, a Ponte ainda mantém a invencibilidade, ao lado apenas do São Paulo e Santos. "É importante vencer e ficar distante dos resultados negativos dá confiança aos jogadores e também nos ajuda neste processo de amadurecimento", diz o técnico, que também faz questão de elogiar o excelente condicionamento físico do time preparado pelo fisicultor Cristiano Nunes. Com o vento a favor, Estevam Soares acredita que a Ponte tem tudo para melhorar, principalmente no ataque. "Inicialmente nós acertamos o sistema de marcação, usando três volantes e dois zagueiros fixos. Todo o grupo ganhou a consciência de marcação e, agora, precisa criar alternativas ofensivas", diz Soares que valorizou bastante a vitória de 1 a 0 sobre o América, em São José do Rio Preto, no sábado. Esta foi a segunda vitória fora de casa, uma vez que tinha vencido o Juventus, por 3 a 0, na Rua Javari . O próximo jogo da Ponte será contra o Corinthians, dia 29, no Majestoso, em Campinas. As preocupações do técnico estão mesmo no setor defensivo, onde o zagueiro Gabriel foi expulso e o experiente Alexandre, emprestado pelo Palmeiras, voltou a sentir dores na perna direita e deixou o time no intervalo, em Rio Preto. Esta foi a segunda participação do ex-palmeirense no time. Ele estreou, com seis quilos acima do peso normal, diante do São Paulo. Rafael Santos, de 18 anos, é uma opção defensiva, além de Alan, que volta de suspensão automática. Outro que ficou de fora por cartões amarelos e poderá voltar é o experiente meia Piá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.