União São João deve permanência ao Oeste

Se o Corinthians foi o rebaixado moral no Grupo 1 do Campeonato Paulista, o União São João foi o rebaixado moral no Grupo 2. O time de Araras somou apenas um ponto em 10 jogos, acumulando números negativos. Mas para o técnico Arnaldo Lira, tudo está muito bem por ter, segundo ele, alcançado o objetivo de livrar o time da Série A2. "O que interessa é que saímos dessa situação. É como aquele velocista, o Ben Jonhson, que ganhou a medalha de ouro nos 100 metros (Olimpíadas de Seul). Depois acusou-se o doping e ele perdeu a medalha. Aqui é a mesma coisa: o Oeste foi punido com 12 pontos e se deu mal", comparou o técnico, que ainda apresentou uma série de desculpas para os maus resultados.Ele diz que não formou o elenco e que neste trabalho aconteceram vários problemas. Com relação ao último jogo, na derrota em casa para o São Caetano, por 1 a 0, até teria sido um resultado normal "porque fui obrigado a escalar vários jogadores do time de juniores".Quando assumiu o time, Lira já tinha chamado a atenção ao comparar o Paulistão com o Mundial de Fórmula 1. "São Ferraris, máquinas poderosas, contra outros carros fracos. No futebol é assim: são grandes times contra times pequenos. E quando um time larga na frente, ninguém alcança mais...".O presidente José Mário Pavan, porém, diz que a árbitra Silvia Regina comentou um "erro escandaloso" na marcação do pênalti que resultou no único gol do adversário, marcado por Marcinho. "Mas eu vou reclamar do quê? Deixa quieto". O União São João agora vai se reprogramar para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B, que começa em maio. Uma coisa é certa: terá que começar tudo do zero.

Agencia Estado,

15 de março de 2004 | 19h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.