Marcelo Tasso/AE - 11/04/2011
Marcelo Tasso/AE - 11/04/2011

Único tetracampeão do mundo, Zagallo recebe homenagem do Botafogo

Ex- jogador do clube alvinegro completa 80 anos e vai ganhar uma estátua

EFE

09 Agosto 2011 | 16h12

RIO - Mario Jorge Lobo Zagallo, um dos símbolos do futebol brasileiro e único jogador que levantou em quatro ocasiões o título de campeão do mundo, será imortalizado com uma estátua em homenagem aos 80 anos que completa nesta terça-feira.

Em reconhecimento à vitoriosa carreira do Velho Lobo, o Botafogo inaugurará uma estátua em homenagem ao aniversário de seu ex-ponta, que será erguida no Estádio Olímpico João Havelange, ao lado de outras lendas da história do clube como Nilton Santos, Garrincha e Jairzinho.

"É uma grande satisfação. Tenho um busto em Maceió, onde nasci, outro em Caxias e um também no Maracanã. Mesmo assim, essa nova estátua me pegou de surpresa", declarou Zagallo.

Sua carreira como jogador começou em 1948 no América do Rio de Janeiro e, um ano depois, já defendia o Flamengo, clube com o qual ganhou em 1951 seu primeiro título como jogador profissional, ao conquistar o tricampeonato carioca.

Zagallo se transferiu nove anos mais tarde para Botafogo, onde se consagrou graças a seu poderio físico e grande velocidade.

Em 1958 brilhou com a seleção brasileira campeã da Copa do Mundo da Suécia, com uma grande atuação na final contra os anfitriões, quando marcou um dos gols e participou da jogada de outro com uma magistral assistência para Pelé.

O Velho Lobo, que vestiu a camisa da seleção brasileira 36 vezes, repetiu o feito quatro anos depois no Chile, quando o Brasil derrotou a extinta seleção da Tchecoslováquia e garantiu o bicampeonato mundial.

Em 1966, alguns meses após pendurar as chuteiras, Zagallo se tornou técnico do Botafogo e seu glorioso histórico brilhou ainda mais quatro anos depois no Mundial do México, no qual comandou a seleção brasileira tricampeã mundial que até hoje é considerada uma das melhores da história do futebol.

Para fechar o currículo de conquistas em Copa do Mundo, Zagallo foi aos EUA como coordenador técnico para ajudar o treinador Carlos Alberto Parreira a encerrar um jejum de 24 anos e conquistar o quarto título mundial da história do Brasil.

"Por onde passei, ganhei títulos. Minha história de vida está cheia de vitórias", considerou ao repassar sua extensa carreira esportiva.

No entanto, o caminho não foi percorrido apenas com vitórias. Quatro anos depois do título nos EUA, Zagallo, novamente como técnico do Brasil, não pôde evitar as lágrimas depois que a França derrotou a seleção na final da Copa de 1998.

Após passar pelo banco das quatro principais equipes do Rio de Janeiro, o Velho Lobo se aposentou em 2001, com um título de campeão carioca pelo Flamengo.

A admiração e o carinho ao único tetracampeão do mundo foram demonstrados há algumas semanas ao ser chamado para participar do sorteio das eliminatórias da Copa do Mundo de 2014. Além disso, o Botafogo o convidou a dar o pontapé inicial no clássico que o clube disputou contra o Vasco da Gama no último domingo.

"É difícil chegar aos 80, mas consegui. Tenho força, energia e muita alegria para viver", concluiu Zagallo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.