Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Universidade britânica lista mais de 350 estátuas de jogadores pelo mundo

Trabalho apresenta informações sobre quando as estátuas foram feitas e quem as esculpiu

O Estado de S. Paulo

04 Abril 2014 | 15h37

SÃO PAULO - Mais de 350 estátuas de jogadores espalhadas por 56 países de seis continentes foram reunidas em um banco de dados no Reino Unido. O trabalho, realizado por por pesquisadores da Universidade de Sheffield, apresenta informações sobre quando as obras foram feitas e quem as esculpiu.

Além disso, o acervo traz imagens de cada estátua e links para mapas de localização, assim também como um mapa do mundo de estátuas. No total, há praticamente 300 jogadores de futebol diferentes. O jogador mais retratado, com seis estátuas, é Pelé - são três em sua cidade natal, Três Corações, e outras em Santos e Salvador. Uma sétima está prevista para o Maracanã.

Mais 125 estátuas de jogadores de futebol anônimos foram identificadas.O Reino Unido lidera a lista, com 80 estátuas. Brasil, Espanha e Holanda têm mais de 20. Argentina, Rússia, México, China, Bolívia, Israel e Indonésia também ergueram monumentos aos seus maiores jogadores.

O trabalho é coordenado por Chris Stride, um estatístico do Instituto de Psicologia do Trabalho da Universidade de Sheffield, e Ffion Thomas, um estudante de pós-graduação da Universidade de Central Lancashire, que trabalhou no projeto nos últimos três anos.

"A primeira estátua futebolista identificados, um leitor anônimo, podem ser encontrados em Copenhague, na Dinamarca, e foi esculpida em 1903. Real Madrid foi o primeiro clube a erguer estátuas em seu estádio, retratando suas estrelas argentinas Sotero Aranguren e Alberto Machimbarrena em 1925", disse Stride.

Segundo ele, quase 95% das estátuas de futebol foram criadas desde 1990, e mais da metade na última década. As principais razões para este aumento são as estratégias de marketing clubes de futebol com base em torno de marca por meio da nostalgia e da autenticidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.