Assessoria/CBF
Assessoria/CBF

'Uns serão lembrados como os melhores da história, já outros', posta Marta após critica de Bolsonaro

Jogadora publica mensagem enigmática nas redes sociais após ser alvo de crítica do presidente por causa de questão do Enem

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2021 | 17h46

A atacante Marta, craque da seleção brasileira de futebol feminino, deixou no Instagram nesta segunda-feira uma mensagem enigmática após ser alvo de uma crítica do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. A eleita seis vezes melhor jogadora do mundo pela Fifa se pronunciou depois de Bolsonaro ter atacado uma questão na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) sobre igualdade de gênero. O exercício comparava justamente as remunerações de Neymar e de Marta.

Na rede social, a jogadora publicou uma foto treinando e colocou a legenda: "Uns serão lembrados como os melhores da história, já outros...". A reação de Marta veio horas depois de Bolsonaro ter comentado em uma conversa com apoiadores sobre uma questão do Enem, aplicado neste domingo. O presidente criticou o conteúdo de um enunciado, por considerá-lo inadequado e "ridículo", segundo suas palavras.

"Não tem que ter comparação. Futebol feminino ainda não é uma realidade no Brasil. O que o Neymar ganha por ano todos os times de futebol juntos não faturam no Brasil por ano. Como é que vai pagar para Marta o mesmo salário?", questionou Bolsonaro. "Isso se chama iniciativa privada, ela que faz o salário, ela que mostra para onde o mercado deve ir. Então, faz questões absurdas sempre pregando igualdade, mas por baixo”, criticou.

"O banco de questões do Enem não é do meu governo, é de governos anteriores. Têm questões ali ridículas ainda, ridículas, tratando de assuntos...", justificou Bolsonaro, que está no cargo desde janeiro de 2019.

A questão do Enem trazia dados de agosto de 2017 para comparar os salários de Marta e Neymar. A jogadora ganhava na época 400 mil dólares anuais e já havia marcado 103 gols pela seleção, uma média de 3,9 mil dólares por gol. No caso de Neymar, o valor embolsado havia sido de 14,5 milhões de dólares, mas com 50 gols marcados pelo Brasil. A média por gol, portanto, era de 290 mil dólares.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.