Mark Humphrey/AP
Mark Humphrey/AP

Uruguai anuncia chegada do técnico Diego Alonso para vaga de Óscar Tabárez na seleção

Decisão frusta os planos de Diego Aguirre, do Internacional, de assumir o comando da equipe nacional de seu país; o time ainda briga por vaga para a Copa do Mundo do Catar, em 2022

Redação, Estadão Conteúdo

14 de dezembro de 2021 | 23h41

Diego Alonso será o responsável pela missão de levar o Uruguai à Copa do Mundo do Catar, em 2022. A Associação Uruguaia de Futebol (AUF) anunciou nesta terça-feira à noite a chegada do treinador, frustrando os planos de Diego Aguirre, do Internacional, de assumir o comando da seleção nacional.

"O Comitê Executivo da Associação Uruguaia de Futebol (AUF) designou Diego Alonso como o novo Diretor Técnico do Uruguai", anunciou a entidade em suas redes sociais nesta terça-feira. "Seja bem-vindo."

Alonso estava sem trabalhar desde o começo de 2021, quando deixou o Inter Miami, dos Estados Unidos. Ele terá quatro rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas para tirar o Uruguai da sétima colocação e tentar levá-lo para o quarto lugar, garantindo vaga direta para a Copa do Mundo. O quinto colocado disputará a repescagem.

Tabárez foi demitido em novembro após quatro derrotas seguidas nas Eliminatórias. Deixou o Uruguai na sétima posição, com 16 pontos. Com Brasil e Argentina classificados e Equador bem encaminhado, a briga pela última vaga promete ser acirrada nas Eliminatórias. A Colômbia, hoje em quarto lugar, soma 17 pontos, superando o Peru, com a mesma pontuação, nos critérios de desempate. O Chile ocupa o sexto lugar, com 16, e será o quarto rival da "era Alonso".

A estreia do novo comandante uruguaio será no dia 27 de janeiro, diante do Paraguai, em Assunção. Depois terão embates com Venezuela e Peru antes da "decisão" com os chilenos.

PERFIL

Alonso é natural de Montevidéu. Como jogador, ele começou no Bella Vista, onde ficou por quatro anos. Em 1997, Alonso ajudou a equipe a conquistar o título da segundo divisão no Uruguai. Ele também passou pelo futebol argentino, vestindo a camisa do Gimnasia la Plata, antes de desembarcar na Espanha. Na Europa, defendeu cinco clubes diferentes: Valencia, Atlético de Madrid, Racing Santander, Málaga e Real Murcia. Ainda esteve no futebol mexicano. Voltou para o futebol uruguaio e encerrou sua carreira no Peñarol.

Em 2011, se aposentou dos gramados para se tornar treinador. Começou no mesmo Bella Vista. Passou pelo Guaraní, do Paraguai, e Peñarol. E assim foi pulando de galho em galho, com clubes diferentes e poucos sucessos. Em 2018, assinou com o Monterrey, do México. Ganhou a Liga dos Campeões do Concacaf. Foi demitido em 2019.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.