Darko Vojinovic/AP
Darko Vojinovic/AP

Uruguai anuncia renovação do contrato de Óscar Tabárez por mais quatro anos

Treinador está à frente da equipe nacional desde 2006 e, com o novo acordo, poderá participar da quarta Copa do Mundo consecutiva

Estadão Conteúdo

21 Setembro 2018 | 11h13

A Associação Uruguaia de Futebol (AUF) anunciou oficialmente nesta sexta-feira, por meio de um comunicado, que acertou a renovação do contrato do técnico Óscar Tabárez para comandar a seleção do Uruguai por mais quatro anos.

O treinador está à frente da equipe nacional desde 2006 e, com o novo acordo, poderá participar da quarta Copa do Mundo consecutiva como comandante uruguaio, caso tenha sucesso nas Eliminatórias Sul-Americanas. Neste ano, ele conduziu o time do seu país às quartas de final da Copa do Mundo da Rússia, onde foi eliminado pela campeã França após acumular quatro vitórias nos quatro jogos anteriores da competição.

Com compromisso assinado para dirigir o Uruguai até a Copa de 2022, no Catar, Tabárez vinha negociando a renovação do seu contrato e, por causa de recente indefinição em relação ao futuro, ele acabou não comandando a seleção na goleada por 4 a 1 sobre o México, em amistoso realizado no último dia 7.

Agora, porém, o treinador de 71 anos firmou acordo para dar continuidade à longa trajetória de sucesso que vem trilhando como técnico do Uruguai. Desde que assumiu o cargo, ele contabilizou como maiores feitos o quarto lugar na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, e a conquista do título da Copa América de 2011.

Depois disso, Tabárez levou os uruguaios às oitavas de final do Mundial de 2014, realizado no Brasil, onde a sua equipe acabou sendo eliminada pela Colômbia. Anteriormente, em sua primeira passagem à frente da seleção do Uruguai, ele comandou o país na Copa de 1990, na Itália, onde também foi batido nas oitavas.

No Mundial realizado na Rússia neste ano, o Uruguai sofreu com a ausência do lesionado Cavani após as oitavas e foi superado pela França por 2 a 0 nas quartas de final. No fim, o país terminou a sua campanha na quinta posição na classificação geral, logo à frente do Brasil, eliminado pela Bélgica nas quartas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.