Michael Dalder/Reuters
Michael Dalder/Reuters

Uruguai confia na boa fase de Cavani e Suárez para superar Portugal nas oitavas

Seleção celeste aposta na dupla para superar Cristiano Ronaldo

Estadão Conteúdo

26 Junho 2018 | 18h14

O Uruguai voltou aos treinos nesta terça-feira em Nijni Novgorod, um dia depois de bater a anfitriã Rússia por 3 a 0 e garantir a classificação às oitavas de final da Copa do Mundo com três vitórias e nenhum gol sofrido. Mais do que a atuação destacada da defesa na primeira fase, os uruguaios comemoram o bom momento dos atacantes Edinson Cavani e Luis Suárez, que pela primeira vez marcaram no mesmo jogo em Mundiais. A dupla é a esperança de vitória da equipe celeste na partida contra Portugal, neste sábado, às 15 horas (de Brasília), em Sochi, para avançar às quartas.

+ Quaresma admite 'sorte' em gol e projeta jogo duro contra Uruguai

+ Tabárez exalta atuação uruguaia, mas lamenta chances perdidas: 'Tem que melhorar'

Cavani e Suárez já jogaram juntos as Copas de 2010 e 2014. Nunca haviam marcado na mesma partida no torneio. O técnico Óscar Tabárez comemorou os gols de seus atacantes diante dos russos - Cheryshev contra completou o placar. Depois daquela jogo, disse que é importante os artilheiros balançarem as redes e entrarem igualmente no ritmo da competição.

O principal objetivo do Uruguai é seguir na Copa do Mundo em busca do tricampeonato. Mas, enquanto isso não ocorre, Cavani e Suárez vão batendo recordes pessoais. Os atacantes do Paris Saint-Germain e Barcelona, respectivamente, entraram para o rol dos jogadores que anotaram tento em três edições seguidas do Mundial. Agora estão ao lado de Ronaldo, do Brasil, os argentinos Diego Maradona e Gabriel Batistuta, Grzegorz Lato, da Polônia, o espanhol David Villa, o italiano Roberto Baggio e os alemães Karl-Heinz Rummenigge, Rudi Voller e Jurgen Klinsmann.

 

Cavani marcou o seu 43.º gol com a camisa celeste e é o segundo maior artilheiro da seleção. Perde apenas para Luis Suárez, com 53. O jogador do Barcelona, inclusive, persegue outra marca. Tem sete gols em Copas, o menos número de Diego Forlán e um a menos do que Óscar Míguez, goleador máximo do país em Mundiais.

Nesta terça-feira, Cavani e Suárez fizeram alongamentos, musculação e massagem, assim como os demais jogadores que atuaram diante da Rússia. Já os atletas que não jogaram foram para o campo, em atividades físicas e técnicas com bola.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.